PREFEITURA DE UAUÁ É DENUNCIADA AO TCM POR POSSÍVEIS IRREGULARIDADES EM LICITAÇÃO

O setor de licitações da Prefeitura de Uauá realizou licitação na modalidade Pregão Eletrônico de Nº 061/2021, com a finalidade de contratação de uma empresa terceirizada para a contratação de mão-de-obra, onde a empresa WA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS DE EDIFICAÇÕES EIRELI foi declarada vencedora e a 
COOPSERVI – COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PRESTADORES DE SERVIÇO DO ESTADO DA BAHIA por supostamente não ter atendido as exigências do certame teria sido derrotada, no entanto a empresa desclassificada apresentou recurso, sendo ignorado pelo pregoeiro, segundo informações de uma fonte que preferiu não ter seu nome identificado.

Diante da situação em que sentiu-se prejudicada e sem os princípios legais atendidos, não lhe restando outra saída, a COOPSERVI, em 25/02/2022, protocolou (PROCESSO: 03139e22) junto ao TCM - Tribunal de Contas dos Municípios denúncia contra o município de Uauá, com pedido de suspensão do certame, por, segundo o processo, haver suspeitas de possíveis irregularidades.

Ao todo o valor licitado corresponde ao montante de R$ 
4.275.185,24 (quatro milhões, duzentos e setenta e cinco mil, cento e oitenta e cinco reais e vinte e quatro centavos)

Porém a planilha desta licitação traz diversos pontos questionáveis, como por exemplo 40.000 mil horas de serviços de serventes, 10.000 horas de eletricistas, 20.000 horas de bombeiro hidráulico, 30.000 horas de pedreiros, 15.000 horas de pintor, dentre outras, o que pode deixar a população a se questionar onde e como serão usadas tantas horas e em quais obras? Será se os valores orçados serão mesmo usados em serviços públicos?