Servidores aderem paralisação, fazem manifestação pública, exigem direitos e deixam claro que lutarão pelos direitos até que sejam efetivados!

Fazendo adesão a Paralisação de 24h em 18/08/2021, servidores fizeram Manifestação Pública para cobrar a efetivação urgente dos direitos negados pelo Governo “Cuidando da Nossa Gente”. Dentre as reivindicações, o cumprimento da lei de data base, da lei do quinquênio e o fim da opressão a servidores.

A mobilização pacífica teve início no Centro Pastoral, tempo em que a plenária de servidores deliberou a manifestação em foco e aprovou faixas que fizeram ecoar as reivindicações pelas ruas da cidade e no ponto estratégico do movimento, em frente ao gabinete do prefeito, setor da PMJ que continua de porta batida para o SINDSPUJ e para suas reivindicações legítimas. Urgência de revisão salarial e de reajuste do quinquênio foi destaque de tais faixas, que poderão voltar às ruas em outras paralisações, se os direitos não forem efetivados. 

O movimento sindical também exibiu faixa em defesa do serviço público, contra a Proposta de Emenda Constitucional, a PEC-32 que intenciona acabar com a estabilidade de servidores e com seus direitos previstos em plano de carreira.

Ainda na manifestação em frente a prefeitura, a Diretoria do SINDSPUJ cobrou do Governo o atendimento das reivindicações em comento, enfatizou mais uma vez a disponibilidade para o diálogo com o prefeito, para de tal modo resolver o impasse. 

Por todo o decorrer da manifestação, ficou claro, que se os direitos não forem concedidos com urgência, uma paralisação de 48h será acionada conforme deliberação da última assembleia deste sindicato. De parte do governo, o que se tem é o descumprimento de lei, o silêncio e o desdém. 

Reiterando sua disposição e o compromisso de luta pela efetivação dos direitos, o SINDSPUJ também deixa claro que o movimento sindical continuará, inclusive, outras paralisações irão ocorrer se o descumprimento de lei persistir. 

Entretanto, tudo será resolvido se o governo mudar de postura, agendar reunião solicitada desde fevereiro, discutir as demandas sindicais e conceder os direitos expressos na lei e nas reivindicações. 

A luta segue firme! É constitucional e independente! Não abriremos mão dos direitos. 

Firme nesta luta, em defesa dos servidores,


        DIRETORIA EXECUTIVA DO SINDSPUJ