Jaguarari bate recorde de arrecadação e valores já ultrapassam os 70 milhões de reais

Pela primeira vez na história o Município de Jaguarari, administrado pelo petista "Seu Antônio", bate recorde de arrecadação, mesmo com o mundo vivendo uma das piores pandemias registradas na história. O pacato Município, que tem boa parte de sua população à beira da miséria, passando fome ou sobrevivendo de "catar lixo", contrapõe-se com uma arrecadação milionária e o filho do prefeito desfilando pelo Município em um Jeep de luxo alugado pela Prefeitura. 

Pra se ter uma ideia do quanto sofre o povo jaguarariense, em especial os mais humildes, as cestas básicas doadas a Prefeitura alimentam uma família de cinco membros por menos de duas semanas, isso se comerem o mínimo possível. As comunidades do interior, tal qual a sede vivem um dos momentos de maior escuridão por falta de reposição de lâmpadas, ou seja, a Prefeitura arrecada muito, mas retribui o mínimo possível para os contribuintes.

A título de informação, segundo o site do Banco do Brasil, em apenas 236 dias já foram depositados nas contas da Prefeitura o valor de R$ 70.319.498,38 (Setenta milhões, trezentos e dezenove mil, quatrocentos e noventa e oito reais e trinta e oito centavos).

E não acabou os descasos. No início do mandato o prefeito Antônio Nascimento enviou à Câmara um projeto de Lei que alterou os cargos e salários de servidores comissionados. Salários que antes eram R$ 1.200,00 agora são de R$ 4.000,00. E a reposição inflacionária dos funcionários concursados e efetivos, bem como o piso nacional do magistério seguem "esquecidos", até mesmo uma Lei da Câmara que aprovou a reposição dos servidores do Legislativo o prefeito vetou.