Ex-prefeito de Uauá esclarece falsas "informações" propagadas pelo Vereador Ademário (Mário) Oliveira!

Ao tornar de conhecimento público o tema fundamental da Renda Emergencial de Cidadania (REC), criado por mim, enquanto de prefeito de Uauá, líder do Governo da Mudança, em 2020, para assistir a mais de mil famílias com filhos de zero (0) a três (3) anos, em razão das consequências socioeconômicas da crise epidemiológica do COVID 19 no município, o senhor propositalmente omite algumas coisas que ora me disponho a esclarecer:

1. Que não existe qualquer ilegalidade ou anormalidade jurídica ou administrativa no contrato entre a prefeitura e ao Bradesco, através da empresa Alelo S/A.

2. Que a Alelo S/A é a operadora de uma das bandeiras de cartões de crédito do Bradesco, escolhida para operacionalizar o pagamento dos recursos da Renda Emergencial de Cidadania (REC) que criei para assistir às famílias carentes de Uauá.

3. Que, sim, o valor de R$ 78.450,00 (setenta e oito mil e quatrocentos e cinquenta reais) foi regularmente transferido para a empresa que deveria pagar o benéfico da REC.

4. Que tão somente em razão do período eleitoral e suas proibições, após consulta feita ao juiz da comarca de Uauá, em 2020, foi suspenso o pagamento do recurso a mais de mil famílias outrora cadastradas pela Secretaria de Assistência Social, através de critérios técnicos definidos em lei municipal, a partir do Cadastro Único da Assistência Social (CadÚnico). 

5. Que, na época, vez que a politicagem local fez surgir distorções e insinuações de que a REC seria forma de captar sufrágio (a popular ‘comprar votos’), decidi imediatamente observar a legislação, suspender o pagamento do benefício e pedir a devolução integral dos recursos já transferidos ao banco para o pagamento de uma parcela (de três) que desejei fazer chegar às famílias carentes de Uauá.

6. Que ainda ano passado, na data de 23/12/2020 (veja ofício anexo) formalizei ao Bradesco e Alelo S/A o pedido de restituição integral do valor de R$ 78.450,00 (setenta e oito mil e quatrocentos e cinquenta reais) aos cofres da municipalidade. Verifique se o valor já foi devolvido!?

Estes são os fatos, vereador.

Assim, em atenção à sua postagem, prontifico-me a prestar esclarecimentos (se assim necessitar, claro) que se façam eventualmente necessários à elucidação dos fatos e à transparência no trato adequado de todas as questões públicas.

Esse diálogo é importante para nos livrar das mentiras politiqueiras (fake news) que em nada contribuem com o desenvolvimento do município de Uauá.

Atenciosamente,

Lindomar Dantas
Ex- Prefeito de Uauá 
(Mandato de 2017 a 2020)