Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uauá, em nota, execram ex-sindicalista e o chama de "menino de recado"


Nota de repúdio.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uauá - Bahia, entidade classista de base deste município, vem a público repudiar postagens proferidas pelo professor da rede pública municipal, Francisco Tavares, mais conhecido como Proleps.

O professor foi candidato a prefeito na última eleição, além de ter  coordenado por um longo período, um sindicato, sendo o mesmo sabedor de como funciona todo trâmite administrativo das relações entre os sindicatos e o município.

O mesmo tem realizado uma campanha com objetivo de criminalizar a gestão que deixou a prefeitura em dezembro de 2020, gestão essa que saiu sem pagar o salário de dezembro.

No entanto, todo mundo é sabedor que esse dito professor tem problemas pessoais com o ex-gestor, cabendo a eles apararem suas arestas.

O problema é que os ex- sindicalista, hoje "menino de recado" da atual gestão usa de informações contraditórias e irresponsáveis, buscando sempre inflamar a relação dos servidores com os sindicatos, espalhando diariamente o terror na vida dos trabalhadores que não receberam os proventos do mês de Dezembro 2020.

Ultimamente, está tecendo ataques sobre os processos judiciais impetrados contra a municipalidade, dizendo ele que o MANDADO DE SEGURANÇA é inválido, ou seja, uma ação judicial errada.

Será por que ele não admite que em 2012 AMBOS OS SINDICATOS entraram com MANDADO DE SEGURANÇA pra cobrar não pagamento de dezembro daquele ano?
Será por que em 2016 o MS que tem praticamente o mesmo teor serviu para garantir o pagamento do décimo terceiro daquele ano?

Será que a legislação mudou radicalmente?
Confiamos na atuação da nossa assessoria jurídica, pois, é o respeito mínimo que pode ser dado a um profissional que estudou para se tornar um jovem e dedicado advogado.

Quanto a perder os proventos relacionados ao mês de dezembro 2020, é uma hipótese fora de cogitação.

Caso não seja pela justiça ou pela negociação, será pela luta.

Por falar em luta, a que se deve a abdicação do ex-sindicalista?
Uma nomeação futura?

Logo ele que sempre bateu no peito dizendo que jamais aceitaria exercer cargo de confiança?
O professor não perdeu apenas o brio do movimento sindical, perdeu a vergonha também.

O servidor, que jamais aceitou ser contrariado não passa de um demagogo, hipócrita, oportunista, desequilibrado e contraditório. Essas características, certamente contribuíram para o seu pífio desempenho no pleito de 2020, inclusive, sendo ignorado pela quase totalidade de colegas de profissão.
 
Ele tenta difamar o nosso sindicato, mas omite que o outro sindicato (o que ele é filiado) usou também de MANDADO DE SEGURANÇA para cobrar o salário de dezembro/2020. 

Enquanto sindicato, reforçamos nosso compromisso com o servidor público e repudiamos veementemente a atitude de uma pessoa que deveria ser exemplo neste momento, colaborando para resolver a problemática.

No entanto, o que percebemos é birra de um menino mimado que não aceita sem contradito, que despreza a verdade com o objetivo de inflamar as reações, plantador de discórdia, apresentando claramente que não tem condições de assumir nenhum cargo público.

A oportunidade não transforma as pessoas, apenas revela quem elas são de verdade.


SINDSMU-BA.