Ex-prefeito de Jaguarari, Everton Rocha, saiu sem pagar funcionários da saúde e quase 500 mil reais desapareceram das contas do Município


O ex-prefeito de Jaguarari, Everton Rocha, que derramou rios de dinheiro na mídia local e regional deixando a falsa sensação de uma gestão proba, que em seus discursos bradava ter no Município um saúde modelo, foi responsável por diversos absurdos que agora começam a vir à tona. Um deles, e não é, ainda, o mais podre, foi deixar os servidores da saúde sem o pagamento, e para piorar quase meio milhão de reais "desapareceram" das contas da saúde, comprometendo o pagamento dos funcionários que atuavam na área em que ele [Everton Rocha] dizia ser a "menina dos seus olhos".

Em nota enviada à imprensa pela gestão do atual prefeito, fica explícito que o ex-prefeito [Everton Rocha] foi um administrador desprovido de responsabilidade e respeito para com a população jaguarariense que em 2016 o elegeu.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA:

O processo de transição que teve o propósito de facilitar a troca de informações no final da gestão do ex-prefeito Everton Rocha (PSDB) para o início da gestão do prefeito Antônio Nascimento (PT) não cumpriu, na prática, o principal objetivo: transmitir as informações essenciais para nortear o futuro governo.

A última reunião entre as Comissões de Transição ocorreu no dia 28 de dezembro de 2020. Nada de relevante foi transmitido pela equipe de transição do ex-prefeito, ocasionando um sério problema, já que a dificuldade de acesso à informação aos dados necessários prejudicou a realização das ações e comprometeu, sobretudo, os pagamentos dos servidores municipais da Saúde, um problema já detectado pelo setor de contabilidade do governo em exercício no que se refere a “Restos a Pagar”, que são as despesas com compromisso de utilização no orçamento, mas que não foram pagas até 31 de dezembro.

Dos R$ 868.820,15 da folha de pagamento da Secretaria Municipal de Saúde, referente ao mês de dezembro, a gestão de Antônio Nascimento encontrou em caixa, apenas: R$ 371.987, 43, o que intriga a atual administração. Afinal, onde foram parar os R$ 496.832,72 desse recurso? Sabe-se até o momento que o pagamento de dezembro da folha da saúde não foi efetuado, evidenciando o descompromisso da administração anterior, não somente com a transparência, um dos princípios básicos da boa gestão pública, como também com os servidores da saúde, que por essa razão estão impossibilitados de receber os seus salários.

Ainda na expectativa da publicação do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) do que foi lançado pelo governo passado quanto ao destino do referido recurso, o prefeito de Jaguarari assegura que está trabalhando junto aos setores jurídico e contábil, para dar uma solução ao entrave gerado pela administração do ex-prefeito. Entrave este, que fere o direito do trabalhador de receber o seu salário em dia. “Tal pendência será sanada sem qualquer prejuízo aos servidores da saúde. E a Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Jaguarari tomará as medidas judiciais cabíveis que o caso requer”, disse Antônio Nascimento.

 

Assessoria de Comunicação Social