Ex-prefeito de Jaguarari, Everton Rocha causa rombo de mais de 11,5 milhões na educação, aponta nota


Nenhuma surpresa. É assim que muitas pessoas encararam a nota publicada pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Jaguarari, sobre o saldo astronômico jogado pelo ralo da possível corrupção no governo do ex-prefeito Everton Rocha (2017-2020).
De acordo com a nota, o Município recebeu R$ 15.810.000,00 (quinze milhões, oitocentos e dez mil reais), dos quais o ex-gestor licitou a reconstrução de 38 escolas da rede municipal no valor aproximado de 10 milhões de reais, no entanto, sem ter reconstruído nenhuma escola, o alcaide jogou no ralo mais de 11,5 (onze milhões e meio de reais), e tudo isso sem ter rateado sequer um centavo com os verdadeiros donos de todo o dinheiro: os professores.
Resta apenas saber: SE O EX-GESTOR ERA TÃO HONESTO, TÃO DEDICADO AO POVO DE JAGUARARI, COMO E ONDE ELE GASTOU TODO O DINHEIRO E NÃO RECONSTRUIU NENHUMA ESCOLA?

“Cadê o dinheiro que tava aqui?"


Em 2019, recursos do precatório do FUNDEF (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) creditou para o município, aproximadamente, 16 milhões de reais em único repasse. A expectativa dos servidores municipais da Educação, a exemplo de outras cidades, era que esse montante fosse dividido entre investimentos na construção e reforma de prédios escolares e o rateio entre os professores do município.

 

Em 2021, o novo gestor, Antônio Nascimento, encontrou uma realidade totalmente diferente ao analisar os extratos bancários das contas da prefeitura. Já foram gastos mais de 11,5 milhões de reais do montante, e nenhum professor recebeu qualquer valor. As escolas que deveriam estar reformadas foram encontradas depredadas, sem a devida requalificação, sem condição alguma de abrigar alunos e professores com dignidade.

 

Visto isso, se professor algum recebeu parte do recurso e as escolas não foram devidamente reformadas, como foram gastos os mais de 11,5 milhões de reais pela gestão anterior? Quem tem conhecimento do Plano de Aplicação previsto em Lei 11.494/2007?

 

Auditorias serão feitas. Fatos serão apurados pela nova gestão e todas as pessoas responsáveis por tamanho descaso serão investigadas e punidas.

 

"CADÊ O DINHEIRO QUE TAVA AQUI?"

Assessoria de Comunicação Social