PREFEITO, PROCURADOR GERAL E PREGOEIRO DE JAGUARARI SÃO DENUNCIADOS AO MP, TCM E PC POR IRREGURALIDADES EM CONCORRÊNCIA PÚBLICA

O prefeito de Jaguarari, Everton Rocha, o procurador geral, Allan Abbehusen e o pregoeiro, Getro Oliveira, foram denunciados ao Ministério Público da Bahia, ao Tribunal de Contas dos Municípios e a Polícia Civil de Jaguarari, acusados de praticar irregularidades na concorrência pública 01/2019 que culminou na contratação de uma agência de publicidade da cidade de Feira de Santana, no valor de R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais), pelos vereadores Zé Galego, Marcos Quito e Val do Jacunã.

De acordo com o documento, obtido com exclusividade pelo blog Jaguarari Online, os edis que assinaram a denúncia, alegam que, para analisar tecnicamente as propostas da empresa participante (apenas uma concorreu), os membros da subcomissão deveriam ter formação específica nas áreas de comunicação, marketing ou publicidade, conforme determina a legislação, e para piorar, um dos membros da dita subcomissão desistiu e protocolou documento, saindo sem assinar qualquer documento (ATA), no entanto os acusados deram prosseguimento ao processo e homologaram a concorrência e contrataram a empresa de publicidade.

A denúncia também aponta, que além de todas falhas já mencionadas, o prefeito Everton Rocha, só nos meses de novembro e dezembro de 2019, retirou dos cofres públicos para gastar com propaganda, a quantia de R$ 169.263,96 (cento e sessenta e nove mil, duzentos e sessenta e três reais e noventa e seis centavos), dinheiro que poderia está sendo usado, neste momento de pandemia, para saciar a fome e a sede de dezenas de famílias carentes.

Devido ao horário desta publicação, não foi possível o contato com os citados, ficando aqui o espaço em aberto, caso manifestem interesse em se pronunciarem.