Prefeitura de Jaguarari fecha o cerco ao Coronavírus, suspende feiras livres e determina o fechamento de vários estabelecimentos comerciais

Foi assinado na noite deste sábado, 21 de março, o Decreto 0116/2020, que limita as possibilidades de imprudências na propagação do Coronavírus. Desta vez a determinação alcança vários estabelecimentos comerciais, que deverão manter suas portas fechadas sob pena de multa de até R$ 10.000,00 (dez mil reais) e cassação de alvarás, para quem descumprir as ordens.

A partir de segunda-feira, 23 de março, apenas padarias, farmácias, mercados, açougues, postos de combustíveis, casas de produtos agropecuários, clínicas médicas, laboratórios, serviços de distribuição de gás de cozinha e água mineral, estabelecimentos de fornecimento de insumos médicos, de enfermagem e de higiene, operações delivery e oficinas para o conserto de ambulâncias, viaturas e veículos essenciais estão permitidos a funcionar, desde que sigam as regras estabelecidas, como por exemplo a presença de no máximo de 15 pessoas em seu interior.

O Decreto ainda suspendeu a realização das feiras livres no Município: Juacema, Gameleira, Pilar e Sede, bem como todo e qualquer evento em espaço aberto ou fechado. Também estão proibidos de abrirem ao público, durante a vigência: bares, lanchonetes e restaurantes, porém permitida venda por meio do serviço de entrega a domicilio, que poderá ser realizado por mototáxi, que por sua vez não poderá transportar passageiros.

Os serviços bancários e seus correspondentes não poderão funcionar, apenas os terminais de auto atendimento (caixas eletrônicos). Os correios só realizarão a entrega e coleta de encomendas.

Lojas de confecções, calçados, cosméticos, eletrodomésticos, materiais de construção e elétricos não constam no atual Decreto, ficando a dúvida quanto a permissão ou não de funcionamento. Já hotéis, pousadas, não poderão admitir novos hóspedes.

Para evitar a entrada de pessoas oriundas de áreas com casos confirmados do COVID-19, a Prefeitura de Jaguarari proibiu o funcionamento do terminal rodoviários e deverá instalar barreiras físicas nas entradas do Município e intensificará a fiscalização a transportes clandestinos.

Todas estas medidas estarão em vigor até o dia 31 de março.