Mãe diz que foi agredida por médica quando cobrava atendimento para filha no Hospital de Jaguarari

(foto: Portal Jaguarari)
Nesta semana uma mãe denunciou ao Nossa Voz que foi agredida por uma médica no Hospital Municipal de Jaguarari-BA. Na segunda-feira (13), a servidora pública, Adriana Cristina Xavier buscou atendimento para sua filha de seis anos depois que a menina sofreu uma queda de uma rede e se queixava de dores e febre.

Na unidade de saúde, a criança passou mais de uma hora aguardando atendimento. Ao questionar a médica de plantão sobre a demora, a profissional teria se negado a atender a criança. “Quando a febre da minha filha começou a aumentar, fui na recepção e perguntei. Tinham quatro pessoas na recepção, eu não sabia que ela era médica porque não estava com um jaleco. E eu fiz a pergunta aleatória sobre quando é que começaria o atendimento. Aí ela me respondeu que não começaria o atendimento naquele momento. Eu perguntei que horas começaria, (…) aí ela falou, em alto e bom som, que não iria me atender”.

Segundo relato de mãe da paciente, quando ela começou a filmar para denunciar a situação, foi agredida pela médica que ainda jogou o celular dela no chão, pisou e levou o aparelho para a sala. A Polícia Militar foi acionada. “Quando o policial chegou eu passei toda a situação. Ele foi lá dentro procurar o meu celular que estava em posse da médica agressora. Pegue meu celular e fui pra Bonfim, com minha filha doente, mais doente ainda depois disso, pra ser atendida lá na UPA. Lá ela foi atendida e medicada”, contou.

Adriana ainda relatou que não foi única a prestar queixa contra a médica, identificada com Valquíria. “Tinha outra senhora lá fazendo o B.O contra ela também dizendo que isso é rotineiro já, que ela estava acostumada a fazer isso”.

Além do trauma na menina de apenas seis anos, no corpo de Adriana ficaram as marcas dos arranhões feitos pela profissional de saúde. Por isso, nesta quarta-feira (15), ela passará por exame de corpo de delito que deve ser anexado à denúncia.
Adriana Cristina mostra as marcas da agressão sofrida na unidade de saúde. (fotos: Aquivo Pessoal)

E a prefeitura?

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Jaguarari divulgou nota nas redes sociais, onde afirma que a médica em questão estava dando assistência e aguardando a regulação de uma paciente com quadro de eclâmpsia.

Porém, segundo relato de Adriana, a médica estava na recepção, sem jaleco ou qualquer identificação de que seria a médica plantonista. O caso foi denunciado à Polícia Civil que está inclusive em posse do vídeo feito por Adriana Cristiane Xavier.

Fonte: Blog Nossa Voz