Após romper contrato com empresa de transporte escolar, prefeitura de Jaguarari assina contrato “emergencial” milionário com empresa da capital baiana

A prefeitura de Jaguarari administrada pelo prefeito Everton Carvalho Rocha realizou na última terça-feira, 30 de abril, o distrato com a empresa SAFIRA, vencedora da licitação para o transporte escolar, em outubro de 2018. O valor global contido no contrato era de R$ 3.774.012,00 (três milhões, setecentos e setenta e quatro mil e doze reais), o que corresponde ao valor de R$ 314.501,00 mensal.

Com o rompimento, o prefeito Everton Rocha assinou um contrato “emergencial” com uma empresa de Salvador no valor “estimado” de R$ 452.407,12 (quatrocentos e cinquenta e dois mil, quatrocentos e sete reais e doze centavos), por mês,  com duração de apenas 90 dias, ou seja, ao final deste período o município terá desembolsado um valor em torno de R$ 1.357.221,36 (um milhão, trezentos e cinquenta e sete reais, duzentos e vinte e um reais e doze centavos). Se comparado com os valores praticados pela empresa distratada, o aumento corresponde a 43,85%.

Por outro lado, este “aumento” no valor pago a nova empresa deve ser também atribuído aos proprietários que locam seus veículos para o transporte escolar. Por exemplo: um veículo que recebia R$ 5,00 (cinco reais) por quilometro rodado, na proporção, deve subir para R$ 7,20 (sete reais e vinte centavos). Caso isso não aconteça, a Câmara de Vereadores e o Ministério Público devem ser acionados imediatamente.