"Piscinão" continua aberto, abandonado e pondo em risco a saúde pública e a vida de crianças e adolescentes que pulam o muro e desfrutam da cisterna como se fosse uma piscina de água limpa e saudável.

Há tempos atrás, ainda na administração do ex-prefeito petista, Antônio Nascimento, foi denunciado que a cisterna do estádio municipal estava servindo de possível foco para o mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika vírus e chikungunya. Veio a administração do prefeito Everton Rocha, o "transformador" e a coisa seguiu da mesma forma: abandonada. O vice do atual prefeito, Fabrício D'Agostino, em seus quase 8 meses, seguiu o mesmo rastro de seus antecessores e nada fez para mudar aquela situação, ou melhor, na sua curta passagem como prefeito, não só a situação do gramado, como toda a estrutura do estádio municipal piorou, haja vista a ausência de zelo.
Mas o tempo continua passando e agora a peteca retorna às mãos de Everton Rocha (prefeito) e os riscos à saúde pública, com possível criadouro na cisterna do estádio e os riscos provocados pela "invasão" de adultos, adolescentes e crianças continuam e foi flagrada por moradores que enviaram fotos à redação do Jaguarari Online, para alertar aos pais e autoridades dos riscos que correm a população e em especial os "banhistas".
O município, por meio de seu gestor, pode evitar e tem mecanismos para tal, para isso pode elevar os muros no entorno do local ou colocar vigilantes para impedir que algo pior venha a ocorrer.
É melhor prevenir do que remediar.