Vereador Marcos Paulo (Quito de Santa Rosa) esclarece polêmica envolvendo professores da escola Mário Negromonte

Na última quinta-feira, 14, durante a Sessão da Câmara de Jaguarari, o vereador Marcos Paulo de Almeida (Quito de Santa Rosa), na presença da secretária de educação, Edineia Ferreira, disse ter recebido reclamações acerca de alguns profissionais (professores) que foram contratados, por indicação política, para lecionarem na Escola Municipal Mário Negromonte, no distrito de Santa Rosa de Lima. O edil disse à nossa reportagem que reproduziu exatamente o que tem chegado até ele por pais e alunos. Segundo ele são diversas queixas contra alguns desses profissionais. 
Marcos Paulo falou ainda, que citou o nome do diretor daquela unidade de ensino, o professor Flávio Adriano (Flavinho), pelo fato de que as reclamações que chegaram a ele pautavam na crença de que a direção da escola seria a responsável pela contratação dos professores, o que infelizmente não é, pois se assim o fosse, com certeza a escola buscaria compor seu corpo discente com todos os educadores comprometidos e capacitados, completou Quito.
Quito disse também, que após o encerramento da Sessão, não se sabe por quem e com qual objetivo, um vídeo com um trecho da sua fala, editado e de forma vil, covarde e mesquinha, foi disseminado nas redes sociais, de forma a levar entre aqueles que não assistiram o seu discurso, na íntegra, que ele teria taxado todos os professores da escola de incapazes, o que não é verdade. 
Diante desta distorção, Marcos Paulo (Quito) repudiou a má fé destas pessoas, que, assim como um espírito maligno, semeiam entre as pessoas de boa fé, o ódio, a mentira e a discórdia. Quito lamentou que em um município onde todos se conhecem, hajam pessoas com esta capacidade tão perversa, que mesmo sabendo do teor de sua cobrança, passa por cima de qualquer princípio para atingir a honra alheia, independentemente dos meios utilizados.
Quito também falou da situação excepcional que os estudantes de Santa Rosa e comunidades circunvizinhas estão vivendo neste ano, no transporte escolar que os levam para o distrito de Pilar. Quito cobrou da secretária Edineia providências, pois de acordo com ele, é inaceitável que esteja acontecendo baldeação e expondo os alunos à riscos constantes.