Associação dos Vaqueiros torna publico a atual situação do museu do vaqueiro, através de carta aberta

“Prezados (as), amigos e amigas; chegamos a mais um ano envoltos de esperança em conseguirmos do Poder Público Municipal o reconhecimento do Museu do Vaqueiro, localizado no Distrito de Santa Rosa de Lima, como primeira Instituição Museológica do município de Jaguarari, assim como também do Território Piemonte Norte do Itapicuru; para fins de pesquisa, memória e conhecimento.

O Museu do Vaqueiro partiu de uma ideia pioneira de um jovem da comunidade, que a partir dos 07 anos de idade passou a colecionar peças e utensílios antigos e de forma gradativa resultou num acervo de grande importância para a difusa da cultura, história e memória do povo de Jaguarari e até de Municípios circunvizinhos. Hoje Museu é de responsabilidade da Associação dos Vaqueiros de Santa Rosa Lima. Através de muita luta a Entidade, conquistou a doação do prédio inativo por Lei, criada na Câmara Municipal de Jaguarari e sancionada pelo prefeito em 2014.

O prédio que no passado serviu de açougue, foi construído na década de 1980, e hoje passa por problemas críticos em toda sua estrutura. A parte elétrica está totalmente danificada; o piso corroído; infiltrações; pintura desgastada; banheiros inacabados e o problema mais agravante: as colunas internas que sustentam as tesouras do teto de 15 metros de largura, não possuem ferragem, o que devido a salina podem não resistir o peso e vir a ceder.

Por esses motivos o Museu até hoje nunca foi inaugurado, e encontra-se num estado de abandono por parte das autoridades. A Associação é filantrópica e não possui recurso para a devida reforma. Com isto; recorremos ao Poder Público juntamente a Secretária de Cultura, para que tomem as devidas providências.

Além do problema estrutural o Museu necessita de armários, arquivo, computador, impressora, expositores de vidro para peças de pequeno porte, documentos e fotografias. O Museu dispõe de um vasto acervo de cunho paleontológico, paleoindigena, sacro, mobiliário, bélico, iconográfico. Enfim, não tem sido tarefa fácil sustentar uma ideia precursora, mas, é de notório saber que não podemos esquecer das nossas origens, valores, saberes e de todos aqueles que de forma direta ou indireta contribuíram na construção da história de Santa Rosa de Lima, Nossa Jaguarari e de toda região.”