Reunião do prefeito de Jaguarari deixa uma dúvida: o povo que o acompanhou é imprópria ao seu governo?

Esta dúvida paira nas mentes de boa parcela da população jaguarariense, em especial àqueles 9.266 que acreditaram e votaram em Everton para o cargo de chefe do executivo, isto porque, em diversas vezes o atual prefeito enfatizou que valorizaria o “meu povo”, mas quando a sua assessoria divulgou: “Em reunião com sua equipe de governo realizada nesta quarta-feira (02) o prefeito de Jaguarari Everton Rocha pontuou as ações realizadas no ano de 2018 e cobrou celeridade na execução das ações planejadas para 2019 deixando evidente o compromisso do governo municipal com a população de Jaguarari”, o que mais aparece são profissionais de outras cidades em funções que no município existem, e além da capacidade técnica e profissional, o apoiaram. Esta imagem da reunião, quando comparada às diversas vezes que o prefeito Everton Rocha dizia que valorizaria a mão-de-obra local, deixa a transparecer que o povo daqui é impróprio para o seu governo. Quer dizer que aqui não há profissionais suficientes e preparados para ocupar todas as cadeiras de secretários? No meio de todos os mais de 9 mil “meu povo” não existe gente qualificada o suficiente para assumir as pastas das secretarias municipais?

Este “meu povo”, foi aquele que suportou todas as acusações, contra Everton Rocha, firme e forte. É o mesmo que até pouco tempo era importante para o governo e que ele [Everton] não abriria mão de tê-lo fazendo parte da administração. É aquele que criou expectativas e hoje vê as melhores vagas, em sua maioria, sendo ocupadas por gente que se quer sabe aonde fica o Bairro Mata Funda, pois nunca esteve lá defendendo um voto para eleger o prefeito do “povão”. E agora, como fica o “meu povo”: subordinados a profissionais importados de diversas cidades da Bahia? Com os subempregos? Isolados das decisões compartilhadas? Deixou de ser útil, só agora, que não há mais importância, pois a eleição já passou?

Tem muita gente de “orelhas em pé” com o “governo uma cidade para todos”. Tem muita gente crendo que o slogan mudou. Ao que parece, a expressão “meu povo” não se referia ao povo de Jaguarari.