Moradores denunciam perseguição no abastecimento d’água no povoado de Catuni da Estrada. Idosos e acamados sem água, mesmo com a represa cheia

Um direito básico de qualquer ser vivo, o acesso a água, está sendo usado como forma mesquinha de perseguição aos moradores da Rua Santa Tereza, em Catuni da Estrada. A prefeitura de Jaguarari precisa fazer uma melhor triagem em quem contrata para lidar com as pessoas, em especial aquelas mais necessitadas (idosos e acamadas) ou no mínimo, ao invés de ter uma “corja” de perseguidores, ter um "exército" de servidores preparados e prontos para contribuir com a administração.

Abaixo, um dos diversos depoimentos de moradores afetados pela falta de preparo de um servidor acobertado pela administração “Uma cidade para todos”:

“Eu gostaria de fazer uma reclamação e não sei onde e nem com quem falar nessa bagunça que está. Aqui em Catuni da Estrada, há alguns meses que nós sofremos com a falta d’água. Agora mesmo com a represa cheia, a água nunca chegou na ponta da Rua mais sofrida com falta dela. A nossa Rua, conhecida como Santa Tereza, é alvo de castigos direto do homem (Osório) que trabalha pela prefeitura, contratado, mas que faz o que quer, por conta dele ter desavenças com várias pessoas dessa Rua. Quando as pessoas o procuram, procurando explicações ele faz piadas e nunca resolve o problema. O fato é que a represa está cheia e coloca pra água ficar dia e noite em algumas Ruas e até pro povoado vizinho, que é o Olhos D’Água de Baixo, só não tem água pra nós nessa Rua. Uma Rua com vários idosos, acamados e que tem que pagar do próprio bolso de R$ 20 a R$ 40 reais por semana, se quiserem água. O pior é não ter ninguém na prefeitura pra quem possamos reclamar ou pedir ajuda.”