Após terem seus pagamentos suspensos proprietários de transporte escolar acionarão prefeitura de Jaguarari e empresa Safira na Justiça

Os proprietários e motoristas de veículos que prestaram serviços transportando os estudantes do município de Jaguarari, no mês de outubro e início de novembro, por meio da empresa SAFIRA, vencedora da licitação para o serviço, foram surpreendidos com a notícia de que a procuradoria jurídica da prefeitura de Jaguarari notificou a empresa a não pagar pelos serviços prestados, com isso, o pagamento que iria ser efetuado, foram suspensos.

Revoltados com a situação, motoristas e proprietários realizaram uma reunião na manhã desta quarta-feira, 19, com a presença dos vereadores Franco Melo, Josimar Zuza, Zé Galego e Neném do Catuni, e também a presença de advogadas que explicaram a gravidade da situação.

Após a exposição dos motivos da reunião e a indignação que estes pais e mães de família passam, sem seus pagamentos respeitados, as medidas a serem adotadas já foram iniciadas. A princípio a empresa e o município de Jaguarari serão acionados judicialmente para cumprirem com os pagamentos ou explicarem os motivos da suspensão; uma comissão irá procurar o prefeito municipal, Sr. Everton Rocha, em busca de uma solução urgente e, caso não obtenha êxito, uma manifestação pelas ruas da cidade não está descartada.

A situação, um tanto quanto vexatória, chegou a este ponto por conta da medida extrajudicial imposta a empresa, para que não efetuasse o pagamento devido, assim, os mais afetados são justamente os que nada tem a ver com a briga política e jogo de interesses: os motoristas.