Os moradores da comunidade de Serra dos Morgados, interior de Jaguarari, pela segunda vez em menos de seis meses causam vergonha ao prefeito inoperante de Jaguarari, Sr. Everton Carvalho Rocha. Cansados de sofrerem diante da incompetência e incapacidade do atual prefeito municipal, de gerir um município rico, como é o caso de Jaguarari, os moradores decidiram com suas próprias mãos realizarem a manutenção dos trechos mais danificados da estrada que dá acesso à sede do município .
Para o gestor municipal, atitudes assim, que partem da população, é vista como a maior prova de que a sua inoperância ultrapassou os limites da incompetência administrativa. Levando-se em conta  que ocupa o cargo de prefeito um crítico ferrenho de gestões passadas, não conseguir sequer recuperar uma estrada carimba sua atuação como a pior da história do município. 

Por volta das 16h00min deste domingo (21), um duplo homicídio foi registrado no município de Filadélfia, área de abrangência do 6º BPM e 19ª Coorpin.

De acordo com informações, elementos não identificados a bordo de uma moto chegaram atirando nas vítimas, identificadas como ANDERSON GARCIAS FERREIRA de 37, anos de idade, conhecido como “QUIQUITO” e o seu cunhado identificado como CLÉCIO DE SOUZA, fato ocorrido na Avenida Eudaldo Mota – Centro de Filadélfia.

Quiquito já havia sofrido uma tentativa de homicídio dia 02 de fevereiro de 2019, quando dois homens armados, em um veiculo Branco lhe abordaram na Rua João Rodrigues Costa no Bairro Novo. Naquela ocasião um dos homens desceu do veiculo atirando em Quiquito que correu em direção a uma residência, adentrando-a e mesmo baleado conseguiu pular o muro e se evadir.

Blog do Netto Maravilha


(Barragem do Apertado foi usada por décadas como fonte de água para a agricultura da região de Mucugê - Foto: Arquivo CORREIO )Mucugê, São Félix do Coribe, Camaçari e Itapetinga são as mais críticas; Embasa nega contaminação

Testes realizados pelas empresas de abastecimento de municípios brasileiros mostram que quatro cidades da Bahia consomem um perigoso coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população. Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste, estão no topo de uma lista de 271 municípios baianos (veja lista no final da matéria) em que se encontrou pelo menos um agrotóxico na água que abastece as torneiras das cidades. 

Obtidos em uma investigação conjunta pela ONG Repórter Brasil, da Agência Pública e da organização suíça Public Eye, os dados dizem respeito ao período entre 2014 e 2017. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) do Ministério da Saúde. O estudo detectou em 1.396 municípios no país todos os 27 pesticidas. 

No caso de Mucugê, o CORREIO apurou que o número elevado de agrotóxicos na água pode ter relação direta com as plantações de batata, morango e tomate na região. Moradores, biólogos, profissionais de saúde do município e até agricultores confirmam o problema e começam a ver os reflexos na população. 

“Aqui tem fazendas grandes com plantações que consomem muito agrotóxico. Contamina solo, lençol freático, água para consumo residencial. A gente vê muita gente com alteração de hormônio, tireoide, muita gente hipertensa e diabética. É difícil comprovar que isso tem relação com o consumo da água, mas que se usa muito agrotóxico na região, com certeza”, disse um especialista na área de saúde de Mucugê, que preferiu não se identificar. 

Biólogo e agricultor de Mucugê, Osório Neto diz que a batata, cultura número um da região, junto com as demais, compromete a qualidade da água há muito tempo. “Na realidade os três municípios vizinhos são contaminados com agrotóxicos: Mucugê, Ibicoara e Barra da Estiva. Os agrotóxicos que se usam em batata tem uma concentração maior de agrotóxicos. Isso há muito tempo tá assim. Demorou de estourar”, afirma Osório. 

Por outro lado, o próprio Osório, que é agricultor, garante que usa agrotóxicos ecologicamente corretos, específicos para cada cultura. E observa que o uso desses químicos em plantações está reduzindo. “Os próprios agricultores resolveram mudar isso. As fazendas e grandes empresas deixaram de usar produtos altamente tóxicos, passaram a usar moderadamente e agora estão partindo para outro estágio, como fazer rotação de culturas e usar sementes resistentes”, observa. 

Mas, admite Osório, ainda vai levar muito tempo para que o solo contaminado de Mucugê se livre dos resíduos dos agentes contaminadores. “Os agrotóxicos altamente pesados foram retirados de combate há mais de dez anos. Tinham dois inseticidas aqui que eram terríveis. Eram faixa vermelha. Depois usaram faixa amarela e agora estão usando material resistente. Acontece que os resíduos que ficaram no solo levam décadas para se dissolver”, acredita o biólogo. 

A Estação de Tratamento de Água de Mucugê é de responsabilidade do município. Segundo Edna Moura, bióloga da vigilância sanitária de Mucugê, o município tem a obrigação de fazer coleta de duas amostras de água ao ano, como manda a portaria 2914/2011 – no caso de cidades com menos de 10 mil habitantes, o que não tem ocorrido.

Edna diz que a vigilância tem enviado por conta própria amostras para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Estado. No ano passado, porém, das quatro análises enviadas para o laboratório, Mucugê só teve acesso ao resultado de uma, que não identificou alteração. 

Para Edna, é preciso refazer sempre as análises e cobrar do Lacen que divulgue os resultados. Inclusive, 15 dias atrás, novas amostras para analisar agrotóxicos foram enviadas para laboratório. “O resultado mais recente que eu tenho, que foi do ano passado, deu normal, dentro dos parâmetros. Mas, é preciso refazer essas análises”, diz Edna. “Sabemos que estamos em uma região com grandes plantações de batata, de morango e não podemos descartar contaminação. Essa temática está muito complexa e se coloca atualmente na Bahia inteira", argumenta.

O que assusta é a possibilidade de os males trazidos pelos agrotóxicos estarem agindo de forma silenciosa nas populações, sem que se saiba a origem do problema. “Aqui em Mucugê dificilmente você vê alguém dizer que uma alergia ou qualquer outra doença é fruto do consumo de água com agrotóxico. Claro, tem gente que faz essa ligação. Mas, nunca vi ninguém dizer que vai procurar indenização de alguma empresa por conta disso, por exemplo”, diz o biólogo Osório Neto. 

O farmacêutico bioquímico responsável pelo sistema de tratamento de Mucugê, Luciano Guedes, questionou a credibilidade da pesquisa e destacou que o procedimento realizado na cidade é o padrão.

"Seguimos rigorosamente todos os critérios estabelecidos. Trabalhamos diuturnamente. Testes de controle interno são feitos a cada duas horas e mensalmente a água é passada por testes, com amostras enviadas ao Lacen e ao laboratório vinculado ao município", disse Luciano.

Para discutir o assunto, a Câmara dos Vereadores da cidade receberá nessa segunda-feira (22) uma reunião entre membros da prefeitura, vigilância sanitária e entidades do meio ambiente para discutir soluções acerca do resultado obtido pelo estudo.

"Temos que fazer análises para ter certeza que a pesquisa fala a verdade. Faremos testes padrões para avaliar isso. O nosso levantamento, no entanto, não encontrou a presença de nenhum agrotóxico", disse o farmacêutico.

Risco na torneira
Dos 27 agrotóxicos encontrados pela pesquisa, 16 são classificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, malformação fetal, disfunções hormonais e reprodutivas. Importante ressaltar que as quatro cidades atingem o número máximo de agrotóxicos, mas há muitas outras com uma quantidade perigosa de químicos, como Macarani, também no Centro Sul, com 25 agrotóxicos, e até a própria Salvador, com 16 pesticidas. 

O levantamento revela ainda quais químicos estão acima dos níveis permitidos pela legislação do país e pela regulação europeia, que proíbe 21 dos 27 pesticidas encontrados na água dos brasileiros. Mas, ainda que não ultrapassem os limites legais aqui, a preocupação é de que eles juntos atuem como um coquetel nocivo à saúde.

"Mesmo que um agrotóxico não tenha efeito sobre a saúde humana, ele pode ter quando mistura com outra substância", explica Cassiana Montagner, que pesquisa a contaminação da água no Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). "Os agentes químicos são avaliados isoladamente e ignoram os efeitos das misturas que ocorrem na vida real", diz a médica e toxicologista Virginia Dapper. Ambas são fontes no trabalho feito em conjunto pela Repórter Brasil, Agência Pública e organização suíça Public Eye.

Itapetinga
Em Itapetinga, no Centro-Sul da Bahia, foram detectados 27 agrotóxicos, sendo 11 associadas a doenças crônicas como o câncer. A gestão da água e do esgoto é realizada pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). O diretor, Alex Dutra, afirmou que o tratamento é "100% seguro e 100% dentro do exigido pelo Ministério da Saúde". Análises são realizadas semestralmente na cidade. Amostras são enviadas para São Paulo.

"Sempre estamos abaixo do nível dos 27 agrotóxicos. Nós fazemos todas as análises sempre e seguimos o recomendado. Se o problema que a entidade sugere é a presença de diversos agrotóxicos em um município, é necessário alterar a exigência do Ministério da Saúde, porque nós seguimos à risca o que eles exigem", opinou.

Dutra afirmou que irá conversar com os representantes da agricultura das cidades de Barra do Choça, Caatiba e de Itapetinga, que são cortados pelo mesmo rio, para verificar os produtos utilizados e buscar melhorias para a população.

Barra do Choça e Caatiba, por exemplo, têm a presença de três agrotóxicos proibidos no Brasil em suas águas, de acordo com o levantamento.

O último relatório de análises da água de Itapetinga foi divulgada no site da cidade. No relatório, todos os agrotóxicos realmente estavam abaixo do nível permitido no país, mas houve a presença dos 27, assim como a pesquisa revelou.

Na Bahia, dos quatro municípios em que foram detectados os 27 agrotóxicos, Camaçari é o único em que se detectou agrotóxicos com concentrações acima do nível permitido no Brasil. Também apenas em Camaçari a Embasa (Empresa Baiana de Água e Saneamento) trata a água. As demais têm gestão própria do abastecimento. Já dentre as 271 cidades com pesticidas a Embasa gerencia a maior parte do fornecimento de água com por exemplo em Salvador. 

Em nota, a Embasa informou que as análises realizadas semestralmente pela empresa no período entre 2014/2018 apresentaram valores que demonstram a inexistência de substâncias presentes em agrotóxicos. “Isso significa que os parâmetros de potabilidade da água distribuída pela empresa estão de acordo com as determinações da Portaria de Consolidação nº 05, anexo XX, de 2017, do Ministério da Saúde”, diz a nota.

A secretaria de Saúde de Camaçari foi procurada pelo CORREIO, mas não respondeu até o fechamento desta reportagem. O município de São Félix de Coribe, que possui o tratamento da água através do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), também foi procurado pelo jornal, mas não deu retorno aos questionamentos da reportagem.

Saúde em alerta
As intoxicações por agrotóxico, em casos graves, podem até gerar coma, parada cardíaca, hemorragia ou perda da visão. Na Bahia, o problema é tratado como uma questão de saúde pública, já que está entre os oito estados do Brasil em consumo do produto.

Os defensivos agrícolas possuem diversos níveis de intoxicação, que podem variar de acordo com a quantidade do produto e tempo de exposição a ele.

O Ministério da Saúde alerta que os venenos podem entrar no corpo por meio de contato com a pele, mucosas, respiração ou ingestão. Os sintomas mais comuns logo após a exposição são mal-estar, dor de cabeça e cansaço. Nos casos mais graves, pode se identificar lesões de pele, tonturas, dificuldade respiratória, podendo ocorrer coma e morte.

Os agroquímicos também podem desenvolver problemas crônicos, que aparecem após algum tempo, como distúrbios como irritabilidade, ansiedade, alterações do sono e da atenção, depressão; dor de cabeça, cansaço, alergias de pele e respiratórias, problemas neurológicos e até alguns tipos de câncer.

O bioquímico Luciano Costa destaca que a presença dos agrotóxicos na água acima do nível permitido pelo Ministério da Saúde pode provocar diversas doenças.

"Funciona como o efeito radioativo, ele vai acumulando no organismo. Ou seja, você pode ter problemas mais graves no futuro quando consome esse tipo de material", disse.

Ele destacou que quanto maior a quantidade ingerida e o tempo de exposição, piores são os sintomas e as consequências para a saúde.

"Não é que a pessoa de imediato vai ter câncer, mas como algumas substâncias são cancerígenas, quando há uma grande exposição, os riscos aumentam", explicou.

A Pública - Agência de Jornalismo Investigativo - e ONG Repórter Brasil, que pesquisaram os dados de contaminação da água, são organizações especializadas em jornalismo investigativo fundadas em 2011 e 2001, respectivamente. A Pública foi o terceiro veículo de comunicação brasileiro mais premiado em 2016 e já conquistou os principais prêmios de Jornalismo do Brasil a exemplo do Tim Lopes, Petrobras e Vladmir Herzog.

Agronegócio questiona dados de contaminação 

A divulgação, nessa semana, do resultado do estudo de contaminação de água por agrotóxicos pela Agência Pública, Repórter Brasil e organização Public Eye gerou questionamentos. Além das próprias empresas de tratamento de água desmentirem as informações ou falarem que elas são tendenciosas, associações do setor agrícola também foram contrárias aos dados apresentados.

A Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), por exemplo, afirmou que os dados foram publicados "de forma alarmista" com pesquisas "absolutamente desconhecidas por autoridades nacionais e internacionais".

"A matéria trata de forma cientificamente distorcida a questão do resíduo de agroquímicos na água dos municípios brasileiros, já que apenas 0,3% das análises realizadas estão acima dos valores máximos estabelecidos pelas autoridades brasileiras. O texto importa parâmetros europeus e faz uma análise fora do contexto da realidade brasileira, um país tropical e com mais de 65% do seu território coberto por vegetação nativa", diz a entidade em nota enviada à imprensa.

A entidade destacou que os agrotóxicos passam por aprovação da Anvisa, MAPA E Ibama e estão "entre os produtos mais regulamentados em todo o mundo" e que o processo de desenvolvimento do produto é longo, podendo chegar a 10 anos, justamente por conta da quantidade de pesquisa necessária para produzi-los.

"Cada país estabelece diferentes limites, pois eles também dependem do uso local; por isso comparar regiões globais não é a maneira mais adequada de verificar a qualidade da água. O monitoramento da qualidade da água deve levar em conta o uso e a exposição, ou seja, avaliando-se cientificamente o risco", opinou a entidade.

Sobre o aumento de toxicidade entre mistura de agrotóxicos, a entidade afirmou que "deve-se ponderar que não se pode esperar que os defensivos com diferentes modos de ações para os organismos alvos apresentem toxicidade acumulativa".

O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg), entidade que representa os fabricantes de agrotóxicos, destacou a avaliação já realizada previamente pela Anvisa, Ibama e Ministério da Agricultura.

“Garante que eles são seguros ao trabalhador, população rural e ao meio ambiente sempre que utilizados de acordo com as recomendações técnicas aprovadas e indicadas em suas embalagens”.

“O setor de defensivos agrícolas realiza iniciativas para garantir a aplicação correta de seus produtos, uma vez que alguns problemas estruturais da agricultura como a falta do hábito da leitura de rótulo e bula e analfabetismo no campo trazem um desafio adicional de cumprimento às recomendações de uso”, acrescentou o sindicato.

A Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) informou que só vai se pronunciar sobre o caso após apurar os dados e confrontá-los com outros levantamentos.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia e a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, órgão do governo estadual, foram procuradas mas em função do feriadão não foram localizados representantes para se posicionar.

Veja a lista das cidades da Bahia que estão com a água contaminada, segundo o estudo:

ABARE
AGUA FRIA
AIQUARA
ALCOBACA
ALMADINA
AMARGOSA
AMELIA RODRIGUES
ANAGE
ANDARAI
ANGICAL
ANTAS
ANTONIO CARDOSO
ANTONIO GONCALVES
APUAREMA
ARACATU
ARACI
ARAMARI
ARATACA
ARATUIPE
AURELINO LEAL
BAIANOPOLIS
BANZAE
BARRA DO CHOCA
BARRA DO ROCHA
BARREIRAS
BELMONTE
BIRITINGA
BOA NOVA
BOA VISTA DO TUPIM
BONINAL
BONITO
BREJOES
BROTAS DE MACAUBAS
BRUMADO
CAATIBA
CABACEIRAS DO PARAGUACU
CACHOEIRA
CACULE
CAETANOS
CAETITE
CAIRU
CAMACAN
CAMACARI
CAMAMU
CAMPO FORMOSO
CANAVIEIRAS
CANDEIAS
CANDIDO SALES
CANUDOS
CAPELA DO ALTO ALEGRE
CAPIM GROSSO
CARAIBAS
CARAVELAS
CARDEAL DA SILVA
CHORROCHO
CICERO DANTAS
CIPO
COARACI
CONCEICAO DA FEIRA
CONDE
CONDEUBA
CONTENDAS DO SINCORA
COTEGIPE
CRAVOLANDIA
CRISOPOLIS
CRISTOPOLIS
DARIO MEIRA
DIAS D'AVILA
ELISIO MEDRADO
ENCRUZILHADA
ENTRE RIOS
ESPLANADA
EUCLIDES DA CUNHA
EUNAPOLIS
FATIMA
FEIRA DE SANTANA
FLORESTA AZUL
FORMOSA DO RIO PRETO
GANDU
GAVIAO
GENTIO DO OURO
GLORIA
GONGOGI
GUAJERU
GUARATINGA
IACU
IBIASSUCE
IBICOARA
IBICUI
IBIPEBA
IBIRAPITANGA
IBIRAPUA
IBIRATAIA
IBITIARA
IBITITA
IBOTIRAMA
IGRAPIUNA
IGUAI
ILHEUS
INHAMBUPE
IPIAU
IPIRA
IPUPIARA
IRAMAIA
IRAQUARA
IRARA
ITABELA
ITABERABA
ITABUNA
ITACARE
ITAETE
ITAGI
ITAGIBA
ITAGIMIRIM
ITAGUACU DA BAHIA
ITAJU DO COLONIA
ITAMARAJU
ITAMARI
ITAMBE
ITANAGRA
ITANHEM
ITAPARICA
ITAPE
ITAPEBI
ITAPETINGA
ITAPICURU
ITAPITANGA
ITARANTIM
ITIUBA
ITUACU
ITUBERA
JACARACI
JACOBINA
JAGUAQUARA
JAGUARARI
JAGUARIPE
JANDAIRA
JEREMOABO
JIQUIRICA
JITAUNA
JUCURUCU
JUSSIAPE
LAFAIETE COUTINHO
LAGOA REAL
LAJE
LAJEDAO
LAJEDINHO
LAJEDO DO TABOCAL
LAMARAO
LENCOIS
LICINIO DE ALMEIDA
LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA
LUIS EDUARDO MAGALHAES
MACARANI
MACAUBAS
MAETINGA
MAIQUINIQUE
MAIRI
MALHADA
MALHADA DE PEDRAS
MANOEL VITORINO
MANSIDAO
MARACAS
MARAGOGIPE
MARAU
MARCIONILIO SOUZA
MASCOTE
MATA DE SAO JOAO
MEDEIROS NETO
MIRANGABA
MIRANTE
MORPARA
MORRO DO CHAPEU
MORTUGABA
MUCUGE
MUCURI
MULUNGU DO MORRO
MUNIZ FERREIRA
MUQUEM DE SAO FRANCISCO
MURITIBA
NAZARE
NILO PECANHA
NOVA CANAA
NOVA FATIMA
NOVA IBIA
NOVA REDENCAO
NOVA SOURE
NOVA VICOSA
NOVO TRIUNFO
OLINDINA
OURICANGAS
OUROLANDIA
PALMEIRAS
PARAMIRIM
PAU BRASIL
PAULO AFONSO
PE DE SERRA
PEDRAO
PEDRO ALEXANDRE
PILAO ARCADO
PIRAI DO NORTE
PIRIPA
PIRITIBA
PLANALTINO
PLANALTO
POCOES
POJUCA
PONTO NOVO
PORTO SEGURO
POTIRAGUA
PRADO
PRESIDENTE JANIO QUADROS
PRESIDENTE TANCREDO NEVES
QUEIMADAS
QUIJINGUE
RAFAEL JAMBEIRO
RIACHAO DAS NEVES
RIACHAO DO JACUIPE
RIBEIRA DO AMPARO
RIBEIRA DO POMBAL
RIO DE CONTAS
RIO DO ANTONIO
RIO DO PIRES
RIO REAL
RUY BARBOSA
SALINAS DA MARGARIDA
SALVADOR
SANTA BRIGIDA
SANTA CRUZ CABRALIA
SANTA LUZIA
SANTA TERESINHA
SANTANA
SANTO AMARO
SANTO ANTONIO DE JESUS
SANTO ESTEVAO
SAO DESIDERIO
SAO DOMINGOS
SAO FELIPE
SAO FELIX DO CORIBE
SAO JOSE DA VITORIA
SAO JOSE DO JACUIPE
SAO MIGUEL DAS MATAS
SAO SEBASTIAO DO PASSE
SATIRO DIAS
SAUBARA
SEABRA
SENHOR DO BONFIM
SIMOES FILHO
SITIO DO QUINTO
TANHACU
TAPIRAMUTA
TEIXEIRA DE FREITAS
TEODORO SAMPAIO
TEOFILANDIA
TEOLANDIA
TERRA NOVA
TREMEDAL
TUCANO
UBAIRA
UBAITABA
UBATA
UMBURANAS
UNA
URUCUCA
UTINGA
VARZEA DA ROCA
VARZEA NOVA
VEREDA
VITORIA DA CONQUISTA
WAGNER
WENCESLAU GUIMARAES

Fonte: Correio24horas

Na manhã deste domingo de páscoa (21), por volta das 07h55min, uma fatalidade assim é que tem sido tratada, sobre a morte de um aluno da PM da Bahia e que estava cursando em Senhor do Bonfim.

As primeiras informações que o aluno sd. PM Daniel Rodrigues Bezerra Filho manuseava uma arma de fogo tipo pistola .380, quando a mesma acabou disparando acidentalmente atingindo a cabeça do colega sd. PM LEONARDO DE SOUZA SILVA, 27 anos, que dormia no alojamento, no Antigo Orfanato no Bonfim III. Ambos residiam na cidade de Petrolina-PE.

No local o Comandante do Sexto Batalhão, diversas autoridades, DPT. O Repórter Netto Maravilha conversou com o Delegado que acompanhou o levantamento cadavérico e, que nos informou que as apurações serão conduzidas pelos militares.

O corpo de Leonardo foi recolhido pelos profissionais do DPT de Bonfim para proceder com a necrópsia.

Blog do Netto Maravilha

Moradores da Rua Pedro Guerra da comunidade de Catuni da Estrada, interior de Jaguarari, vivem noites de pura escuridão, insegurança e medo. De acordo com as informações enviadas ao Jaguarari Online por populares revoltados com o descaso da Prefeitura Municipal com aquela localidade, a sensação é terrível, pois são 4 (quatro) postes em sequência com as lâmpadas apagadas e ninguém pode sair ou chegar em casa à noite sem a sensação de que algo ruim poderá acontecer a qualquer momento e pedem providências urgentes ao setor de iluminação da Prefeitura de Jaguarari.

No que se refere a notícias boas, de demonstração de força, organização e perseverança Jaguarari realmente precisa agradecer muito aos atletas da Escolinha de Atletismo Flamengo, visto que mais uma vez a entidade se superou, participando de uma competição na cidade de Juazeiro, a corrida denominada TIRADENTINHOS, que reúne crianças de 07 a 14 anos e premia os campeões com bicicletas.
Este ano a procura pela corrida atraiu atletas de diversas cidades da Bahia e Pernambuco, Cidades como Orocó, Dormentes e outras baianas como Campo Formoso, Itiúba e Caém inscreveram participantes nas provinhas com distâncias proporcionais a cada categoria.
Na primeira prova para meninos e meninas de 07 e 08 anos os irmãos Miguel de apenas seis anos e Desirée de 08 venceram, sendo que a menininha tornou-se bi campeã e o garotinho surpreendeu os mais velhos, sagrando-se o campeão mais novo desde 2002 quando a competição foi realizada pela primeira vez.
Na prova de 09 e 10 anos Ariely, irmã dos dois pequenos venceu pela terceira vez e Lucinelma Ferreira se despediu da competição, já que completou 14 anos no final de março, como hexa campeã.
Ray de Jesus foi o vice campeão na categoria 13 e 14 anos e Patley Kauane ficou na terceira colocação da categoria 11 e 12 anos.
Foi uma parceria entre o treinador da EAF, também professor lotado na EMP - Escola Municipal de Produção, com aval da SEMEC - Secretaria de Educação.
Um projeto lindo, que poderia ser copiada pelo Departamento de Esportes da cidade de Jaguarari, ou que poderia ser apoiado nas escolas. Já são mais de 50 bicicletas ganhas pelo pequeno Povoado de Flamengo e que esse ano quase não aconteceu porque  a Prefeitura não enviou o ônibus, sendo preciso levar as primeiras crianças de carro pequeno e depois de 8 horas da manhã, quando fora resolvida a questão o restante das crianças chegaram em Juazeiro a tempo de competir somente na última das 8 provas. 
Lamentável, pois aqueles que nada fazem para oferecer projetos a esse público tão importante para o futuro da cidade ainda boicotam propositadamente aqueles que trabalham incansavelmente para produzir boas notícias para a cidade.


Um carro-forte foi assaltado e explodido no início da noite desta quarta-feira (17), no distrito de Juremal, que fica na zona rural da cidade de Juazeiro, no norte da Bahia. Uma pessoa morreu ação dos bandidos.

De acordo com a polícia, antes da abordagem ao carro-forte, os bandidos abordaram um caminhão. Os homens estavam em um carro, mandaram caminhoneiro descer e tocaram fogo na cabine do veículo.

Depois disso, o grupo seguiu em direção a Juremal, onde abordou o carro-forte. Os ocupantes saíram do veículo e os bandidos recolheram todo o dinheiro. Depois do assalto, o grupo explodiu o veículo.

Segundo a polícia, testemunhas contaram que, durante a fuga, os homens atiraram em várias direções e um desses tiros atingiu o carro de um homem que passava pela pista.

O motorista foi baleado na cabeça e morreu na hora. O veículo perdeu o controle e bateu na grade de proteção de uma ponte da rodovia.

Até ao início da noite desta quarta-feira (17), ninguém havia sido identificado ou preso pelo crime. A polícia não detalhou a quantia que foi roubada pelos bandidos.

Por Tv São Francisco 
Via Portal Jaguarari


Por volta das 17h da tarde desta terça-feira, 16 de abril, um grave acidente registrado na BR 407 no trecho entre Juremal e Massaroca, interior do município de Juazeiro, ceifou a vida de dois jaguararienses. De acordo com as primeiras informações, houve uma colisão entre o veículo Fiat Uno Way de placa NZQ – 3480, licença de Jaguarari e uma carreta. No Fiat Uno estavam Robinho, residente no distrito de Gameleira e pai de quatro filho e Bruno, solteiro e residente na Fazenda Anhã, interior de Jaguarari. Os dois faleceram no local. As causas do acidente ainda não foram divulgadas pela Polícia Rodoviária Federal.

A juventude de todo o município de Jaguarari e regiões circunvizinhas podem ir se preparando! A quarta edição do evento Cenáculo, que acontecerá nos dias 04 e 05 de maio em Santa Rosa de Lima está chegando e esse ano com uma grande atração da música Católica, O DJ Roony Moura, ele que é considerado o melhor DJ Católico do Brasil estará presente neste evento e promete não deixar ninguém parado.

E não para por aí, além de Roony Moura, o evento já conta com as presenças confirmadas de Keisy Roberta que abrirá a noite de louvor no sábado com sua bela e suave voz, com pregações do fundador da Missão Galiléia, Jarbas Silva e do Seminarista Seni Costa, sem contar com a grande e recheada programação que contará com Missas, adorações, gincanas e muito mais.

O evento este ano promete ser inesquecível!

Para mais informações visite o Instagram do evento:

Ou entre em contato com um dos organizadores:

74 99904-9153
74 99951-3352
74 99703-0824

A moradora e comerciante do Distrito de Gameleira, Sra. Ivoneide Oliveira procurou o Jaguarari Online na tarde desta segunda-feira (15) para falar sobre a situação precária, segundo ela, encontrada no Hospital de Jaguarari. De acordo com as afirmações, Ivoneide disse que na última sexta-feira (12) levou seu filho à emergência do Hospital Municipal por três vezes, mas o atendimento não foi satisfatório, pois não conseguiram diagnosticar que seu filho estava com a apendicite supurada (apendicite supurada é o rompimento do apêndice inflamado, o que aumenta muito os riscos de complicações que podem, inclusive, levar à morte), forçando-a a leva-lo às pressas em seu próprio veículo a um hospital de Petrolina-PE. Lá foi detectado o estado e a cirurgia realizada. E aquelas mães e pais que não tem condições de levar seus filhos a um médico particular, como fica? Questionou a moradora.
Ivoneide ainda criticou as diversas promessas não cumpridas do prefeito de Jaguarari, em campanha, as péssimas condições da estrada que dá acesso ao distrito, a falta de pagamento dos transportes escolares, que estão deixando os estudantes sem aulas há mais de duas semanas.
Para a comerciante e mãe, que por pouco não perdeu seu filho, classificou o atual gestor municipal como o pior que Jaguarari já teve.
Assista a íntegra do vídeo.


O Padre GIOVANI ZACARIAS ARRUDA, Pároco da Paróquia Vétero Católica Beata Irmã Dulce dos Pobres, com sede na Avenida Santa Rosa de Lima, S/Nº, bairro Odilon Gonçalves, Jaguarari-BA, FOI ELEITO BISPO pelo Colégio Episcopal da Igreja Vétero Católica. A cerimônia de sagração acontecerá em 23 de junho em Caldas Novas no estado de Goiás e será presidida por DOM DIOGO BONIOLI A. PEREIRA, Arcebispo Primaz da Igreja Vétero Católica no Brasil e Arcebispo do Rio de Janeiro.
Giovani Zacarias Arruda apresenta todos os sábados, das 17h às 18h, na Rádio TOP FM 104.9 o programa NA SINTONIA VÉTERO CATÓLICA, levando a palavra de Deus aos ouvintes através de orações e reflexões sobre a Bíblia.

No último sábado, 13, aconteceu o sorteio dos grupos do Campeonato Jaguarariense de Futebol, que será realizado pela Liga Desportiva Jaguarariense, na administração do presidente Márcio Costa Pinto. No ATUALIZE, ao meio dia na 104.9 TOP FM mais informações.
Confira como ficou definido os grupos:

GRUPO A:

SÃO JOSÉ
UNIÃO
GAMELEIRA
YPIRANGA
JACUNÃ

GRUPO B:
 ASA BRANCA
6 DE AGOSTO
PILAR
SÃO JOÃO
SANTA ROSA

A equipe de Flamengo não participará este ano.

A situação da saúde de Jaguarari anda de mal a pior. Na última sexta-feira, uma gestante, moradora do distrito de Juacema, usou o espaço na Rádio 104.9 TOP FM para denunciar os descasos com a saúde do município e em conversa com os apresentadores, ao vivo, disse que precisou pagar R$ 250,00 por duas ultrassonografias (está gestante de 5 meses) porque não consegue pelo SUS na Secretaria de Saúde do Município. A paciente disse também que nem exames laboratoriais estão sendo realizados no laboratório municipal. Um descaso.
Ainda segundo outros pacientes relataram à nossa reportagem, a situação é ainda mais grave: faltam medicamentos básicos nos postos de saúde e para conseguirem um exame ou consulta de alta complexidade é ainda mais difícil.
O que está fazendo o prefeito de Jaguarari à frente da administração municipal?

Algo impensável e inimaginável a um município rico e com um gestor que recebeu 9266 votos com um vasto arsenal de promessas, tem deixado a população de Jaguarari revoltada com a administração municipal. Na última sexta-feira (12), nossa equipe flagrou dezenas de pacientes na central de marcação de consultas e exames, dentre elas gestantes que, segundo relataram a Rádio TOP 104.9 FM, chegaram por volta da meia noite e ali dormiram na calçada de uma residência para conseguir uma ficha para passar na médica ginecologista. Uma vergonha, até porque o atual prefeito da cidade, por diversas vezes disse em sua emissora de rádio, que em seu mandato não teríamos filas na saúde.
E os milhões da saúde estão sendo empregados aonde e como?

Sem obras, sem saúde, sem educação de qualidade, com transportes da educação atrasados, iluminação precária em várias localidades do município, com as ruas do distrito Pilar esburacadas, com falta de medicação básica em postos de saúde, prefeitura de Jaguarari segue recebendo normalmente milhões e mais milhões. Para se ter uma ideia da fase caótica que vive o município, mesmo com a "estabilidade" política e jurídica pós retorno do prefeito ao cargo, sem sentença, a população pena para ser atendida, estudantes estão a quase três semanas sem transporte escolar, mas em apenas quinze dias deste mês de abril, as contas da prefeitura receberam R$ 2.328.496,17 (dois milhões, trezentos e vinte e oito mil, quatrocentos e noventa e seis reais e dezessete centavos)
Mas ninguém sabe ou se tem uma ideia aonde está sendo empregado todo este valor.

A maioria dos transportes escolares que prestam serviços à Prefeitura de Jaguarari por meio da empresa SAFIRA entram na terceira semana paralisados por falta de pagamentos. Segundo denunciou o vereador William Rogers (PSDB) na Sessão da Câmara da última quinta-feira, a empresa diz que não efetuou os pagamentos porque a prefeitura ainda não fez o repasse.
Ao Jaguarari Online, vários motoristas dizem que estão com 05 (cinco) meses atrasados: março de 2017, dezembro de 2018, janeiro, fevereiro e março de 2019 e não suportam mais.
Um outro ponto vergonhoso é o valor que é pago aos transportes: tem linhas que a prefeitura paga R$ 1,90 (um real e noventa centavos). É no mínimo estarrecedor imaginar que um pai de família coloque seu veículo para transportar alunos todos os dias e ao final do mês receba menos de 01 (um) salário mínimo.
É esta a valorização à educação e aos prestadores de serviços de Jaguarari que a administração pública municipal tem dado. 
Por outro lado, centenas de alunos da rede municipal e estadual continuam prejudicados, pois aqueles que os pais não possuem condições financeiras para arcar com as passagens, estão perdendo aulas e avaliações.
É esta a hora do Legislativo Municipal assumir as rédeas da situação e levar o caso ao conhecimento do Ministério Público, Ministério da Educação e Ministério Público Federal. Dinheiro entra nas contas da Prefeitura, agora o que está sendo feito com ele é o que a á população não tem visto.

A comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia aprovou ontem, na reunião do colegiado, o pedido do deputado estadual Laerte do Vando (PSC) para vistoriar a barragem de rejeitos no distrito de Pilar, em Jaguarari, a quase 405 Km de Salvador. 

A data da visita está programada para o dia 15 de abril, mesmo dia em que os membros do colegiado farão uma inspeção no reservatório de Pinhões, em Juazeiro, no norte da Bahia. 

De acordo com o autor da proposta, a medida tem o intuito de antecipar as ações preventivas dos governos contra acidentes de barragens.

“O que a gente observa é que os órgãos que deveriam cuidar dessas questões acabam negligenciando ao achar que não precisam priorizar a manutenção e fiscalização”, pontuou. 

Laerte foi quem fez a denúncia sobre os vazamentos no açude Cariacá, conhecido também como barragem da Tapera, em Monte Santo.

A barragem não havia sido citada no relatório de segurança de barragens (RSB) de 2017, divulgado no ano passado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Em relatório enviado ao parlamentar, o engenheiro Raimundo Goethe - chefe de serviço técnico da Coordenadoria Regional do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) -  disse que o nível de perigo do reservatório de Cariacá foi classificado como Atenção. Ou seja: os problemas encontrados “não comprometem de imediato a segurança da barragem, mas, caso venha a progredir, pode comprometê-la”, explica trecho do documento.

O órgão estimou em R$ 5,5 milhões a obra de recuperação do reservatório. O edital de licitação para a execução dos serviços deve ser lançado ainda no primeiro semestre deste ano.

Descrição foto: deputado Laerte do Vando

MARI themes

Tecnologia do Blogger.