A propaganda de modernização e ampliação do Hospital Municipal de Jaguarari, com implantação de Centro Cirúrgico e Obstetrício, inaugurado no dia 6 de agosto do ano passado, e que custou aos cofres públicos cerca de R$ 2 milhões, ao que tudo indica, foi mais do que uma tentativa de promover a gestão tucana, soa também como justificativa  ao alto valor empregado na ação, tendo em vista as diversas falhas estruturais diagnosticadas no Relatório de Vistoria Técnica,  encomendado conjuntamente pelas Secretarias Municipais de Infraestrutura e Obras Públicas e de Saúde.

Sem desmerecer a relevância de qualquer investimento público no campo da saúde, o relatório se faz necessário para comparar o que foi aportado financeiramente na obra entregue à população com a estrutura encontrada pela nova gestão “Cuidando da Nossa Gente”.

No levantamento constam algumas informações básicas da análise produzida, nas quais falhas graves foram detectadas.

PROJETO DA OBRA x ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS – Foram avaliadas: 1. Conferência dos quantitativos dos serviços executados; 2. Avaliação da qualidade dos serviços executados em relação aos padrões exigidos nas especificações técnicas; 3. Registro topográfico das irregularidades identificadas.    

DAS INCONSISTÊNCIAS APONTADAS EM RELATÓRIO TÉCNICO – No dia 8 de janeiro de 2021, os técnicos designados para a vistoria apontaram os seguintes danos estruturais: Infiltrações por toda a estrutura; corrimão mal fixado; rachaduras e depressão no piso da rampa de acesso, má instalação da grelha do ralo, causando alagamentos; bolhas de ar no piso devido ao uso excessivo de cola; infiltração no teto da sala do pós-parto; falhas na colocação do telhado e no calhamento; pedra do necrotério danificada; tinta e reboco com avarias; utilização de material inapropriado para revestimento na sala de “raio-x”; forro da sala de enfermagem com estrutura comprometida, podendo desabar a qualquer momento.

Da vasta lista, estes são apenas alguns dos diversos problemas apontados pelo Relatório de Vistoria, que colocam em suspeição não apenas a qualidade do material utilizado, a engenharia civil e como a obra foi executada, mas também o quanto a obra mal-acabada custou.

Causa espanto uma intervenção tão recente e cara já necessitar de nova reforma, o que vai onerar ainda mais os cofres públicos municipais. Gasto que poderia ser evitado, caso todos os padrões técnicos de engenharia civil tivessem sido respeitados durante a reforma milionária, empreendida pelo ex-gestor do PSDB. 

O espelho do que foi colhido pelos técnicos reflete que a chamativa fachada do Hospital Municipal de Jaguarari não é capaz de esconder as falhas estruturais de um projeto mal executado, o que coloca em risco a saúde financeira do município, assim como as vidas de todos aqueles que adentram ou trabalham naquela unidade de saúde.







  

Assessoria de Comunicação Social

Após quase um ano de medo, dúvidas e sofrimento pela partida de 34 bonfinenses, foi iniciada nesta quarta-feira (20) a vacinação contra a Covid-19. A senhora Maria da Cruz, de 96 anos, foi a primeira a pessoa a  receber a 1° dose da vacina Coronavac produzida pelo Instituto Butantan e parceria com a China. Ela é a moradora mais velha do Lar dos Idosos Fabiano de Cristo, e recebeu a primeira dose da vacina aplicada pela Coordenadora de Imunização Luciana Gomes.

A segunda pessoa a receber a vacina no município foi o Agente Comunitário de Saúde Carlos Arlenio de 62 anos, que atua na linha de frente no combate a Covid-19. “Estou muito feliz por está tendo a chance de receber a vacina. Sou Agente de Saúde há 29 anos, mas os últimos meses foram muito preocupantes, mas agora começamos ver uma luz no fim desse túnel. Parabenizo a gestão pelo empenho nessa luta. A chegada da vacina nos dá uma chance real de vencer essa doença”, disse Carlos Arlenio.

O prefeito Laércio Junior acompanhado da primeira dama e secretária de assistência social Taciane Granja, da secretária de Saúde Renata Mercês e profissionais de saúde falou sobre a importância e o cronograma da vacinação no município. “Iniciamos hoje o procedimento de vacinação da população bonfinense. Inicialmente iremos vacinar apenas 837 pessoas, seguindo todos os protocolos do Ministério da Saúde. A vacinação da senhora Maria da Cruz, foi um momento emocionante e histórico para o município. A primeira dose da vacina foi iniciada hoje (quarta-feira) e seguirá até sábado para os idosos em instituições (asilos) e profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate a Covid-19. Serão vacinadas cerca de 200 pessoas só hoje”, destacou o prefeito.

A prefeitura de Senhor do Bonfim ressalta que todos devem continuar fazendo a sua parte, saindo de casa somente se for necessário, fazendo uso da mascará, lavando as mãos com água e sabão e sempre que possível fazer a higienização com álcool em gel. Todos Contra o CoronaVírus!

ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro”

Aconteceu na noite desta terça-feira (19), no plenário da Câmara de Vereadores a apresentação de uma importante obra de infraestrutura para o município de Senhor do Bonfim. A engenheira Maristela Cavalcante, representante da empresa MB Engenharia, apresentou o projeto de urbanização da Avenida Florestal. Um projeto audacioso, que trará grandes benefícios para os moradores das ruas e bairros contemplados. 

“Hoje foi apresentado um grande projeto de infraestrutura para o nosso município. O projeto de urbanização da Avenida Florestal foi apresentado e foi aberto espaço para discussão do mesmo. Algumas sugestões foram dadas e a engenheira irá fazer essa adaptação e o projeto volta para ser novamente apresentado. Caso seja aprovado passará pelos processos necessários até o seu inicio, que esperamos seja já no mês de abril”, ressaltou o prefeito Laércio Junior.

O projeto de urbanização foi apresentado em reunião, que contou com a presença do prefeito Laércio Junior, o vice-prefeito Elizeu Rios, secretários de governo, vereadores, empresários e profissionais da construção civil. A ideia original do projeto orçado em R$ 1.816,570 (um milhão, oitocentos e dezesseis mil, quinhentos e setenta reais), irá remodelar as vias públicas da Avenida Florestal, Rua Amazonas, Rua Pará, Rua Alagoas e Rua José Rebouças, totalizando uma extensão de cerca de 1,7 km. Ao longo desse trajeto serão executados serviços de calçamento, asfaltamento, construção de calçadas, implantação de rampas de acesso, quebra-molas, ciclovia, iluminação e sinalização horizontal.

“Após ouvir atentamente todas as sugestões irei copilar todas essas ideias e adaptar a ideia original do projeto. Será um grande desafio remodelar o projeto a essa nova perspectiva, que é direcionar de forma segura o fluxo de veículos, proporcionando maior segurança aos condutores e pedestres”, pontuou a engenheira Maristela Cavalcante, responsável pelo projeto.

ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro”

Dois novos casos de Covid-19 foram registrados hoje, dia 20 de janeiro, em Jaguarari. Os pacientes são da sede e do Distrito Pilar. A Secretaria Municipal de Saúde calcula 1.181 casos confirmados, destes, 24 são ativos. Quarenta e oito pessoas estão em monitoramento domiciliar e quatro aguardam o resultado dos exames pelo Lacen. Casos curados somam 1.143. O número de óbitos se mantém em 15.

 

Assessoria de Comunicação Social

Aconteceu na manhã desta terça-feira (19), na sala de reuniões da prefeitura de Senhor do Bonfim, uma reunião com a presença do prefeito Laércio Júnior, a secretária de desenvolvimento econômico e turismo, Ana Claudia Matos, o vereador Elizeu dos Temperos e representantes dos feirantes para debater a organização dos Feirantes no Centro do Município. Durante o encontro foi solicitado aos trabalhadores que fossem dadas sugestões para melhoria das condições de trabalho e organização da feira-livre.

Foram dadas muitas ideias para a melhoria tanto na estrutura como nas condições de trabalho, porém os feirantes solicitaram uma posição da Administração Pública com relação aos “carrinhos” que atrapalham a comercialização dos produtos. Segundo os feirantes esses profissionais “móveis”, deveriam ser colocados em locais específicos, não permitindo o acesso aos locais onde funcionam as barracas fixas.

Os feirantes pediram também que as barracas fixas não realizassem exposição das caixas com produtos na frente das barracas, já que dessa forma estaria atrapalhando as outras barracas. O Prefeito Laércio Junior determinou que os fiscais fizessem essa fiscalização e orientasse que os barraqueiros não seguissem com essa prática. A administração municipal faria um trabalho de conscientização na feira-livre pelo prazo de 30 (trinta). 

Ao final da reunião o prefeito Laércio Júnior informou que passará a ser realizada a higienização do local da feira, aos domingos e também as quartas à noite, com a limpeza do local, sendo entregue aos feirantes um local digno de trabalho. 

Ficou agendada para o dia 02 de março, uma nova reunião com os feirantes, com o intuito analisar se as mudanças surtiram efeito durante o período de adaptação. Além disso, os feirantes irão fazer a avaliação dessas alterações e sugerir novas mudanças na feira-livre.  

ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro”

A técnica de enfermagem, Amélia Silva Santos Braz, de 55 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada em Jaguarari contra a Covid-19. O ato simbólico que marcou o início da 1ª fase das imunizações contra o coronavírus em todo o município, aconteceu na manhã desta quarta-feira (20), na Praça Alfredo Viana, em frente à Prefeitura Municipal.

Amélia foi escolhida por ser uma profissional muito respeitada pela população, dado o tratamento cuidadoso e humanizado que dedica a todos os pacientes ao longo de 37 anos de carreira. Só no Hospital Municipal de Jaguarari, Amélia atua há 24 anos. “Foi uma honra. Eu não esperava. Só tenho a agradecer, primeiramente a Deus e, segundo, ao Seu Antônio por ter sido convidada para ser a primeira a ser vacinada. Tudo isso é, para mim, mais um incentivo para trabalhar com honra e sinceridade”, declarou a técnica de enfermagem.

O prefeito, Antônio Nascimento (PT), participou da ação que entra para a história do município. “É uma satisfação muito grande estarmos todos aqui fazendo esse trabalho. Em pensar que nós, aqui no interior da Bahia, bem distante dos grandes centros, já temos a primeira vacinada na mesma semana em que a campanha iniciou no Brasil, é motivo de grande satisfação”, comemorou o gestor, que aproveitou o momento para pedir às pessoas que continuem atentas aos cuidados de prevenção ao coronavírus.

Seguindo criteriosamente o Plano para a Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 em Jaguarari, a secretária municipal, Raquel Bonfim, explicou o motivo dos profissionais de saúde terem sido priorizados nesta fase da campanha, que conta com a aplicação de 237 doses. “Eles formam a categoria que mais foi afetada pela pandemia. São os que estão na linha de frente no combate ao vírus. Por essa razão, iniciamos as imunizações com esse grupo, mas assim que concluirmos a 1ª fase e recebermos novas remessas de vacina, atenderemos os demais”.

De acordo com a logística estabelecida, as equipes da Secretaria de Saúde seguem vacinando todos os trabalhadores da saúde, tanto da sede, quanto da zona rural. Em Pilar, a primeira pessoa a ser imunizada foi a enfermeira, Ednice de Melo Arcoverde, mais uma dentre os 237 profissionais que receberão o imunizante. É o Governo Cuidando da Nossa Gente no combate à Covid-19.


Assessoria de Comunicação Social

Responsável por contribuir com boa parte da produção de frutas, verduras e até mesmo café para a região norte da Bahia, agora a comunidade de Serra dos Morgados, em Jaguarari (BA), vem observando a drástica redução das suas principais culturas devido à diminuição da oferta de água.

De acordo com a Associação das Mulheres Agricultoras e Artesãs de Serra dos Morgados, o desmatamento e a seca associados ao excesso de poços perfurados de modo ilegal são os principais fatores para o sumiço da água, situação que já está afetando até mesmo o abastecimento humano de comunidades inteiras, que atualmente dependem de carros-pipa.

Esta é uma das propostas aprovadas pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) através do Edital de Chamamento Público 02/2019, para manifestação de interesse para seleção e contratação de projetos com foco na sustentabilidade hídrica no Semiárido. Com isso, uma força-tarefa foi montada neste final de semana, contando com a participação da comunidade para reunir informações que subsidiarão a elaboração de um termo de referência, documento base para a posterior contratação de obras que venham minimizar ao máximo os impactos da ação humana devastadora, através da exploração desenfreada do recurso natural.

O trabalho, que deve prever a construção de barragens subterrâneas, barreiros e outras estruturas objetivando a recarga de aquíferos, é financiado integralmente pelo CBHSF e executado pela Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos – COBRAPE, contratada através de licitação pela Agência Peixe Vivo.

Responsável por apresentar a proposta para recuperação na Serra dos Morgados, a integrante da Associação das Mulheres Agricultoras e Artesãs de Serra dos Morgados, Edna Maria de Almeida, destacou a urgência dos trabalhos. “Ano após ano temos presenciado a morte de diversas nascentes. São muitas até aqui que já deixaram de existir por causa da perfuração de poços. Entramos com uma ação no Ministério Público e na ocasião verificou-se que praticamente todos os poços eram irregulares e por isso, hoje não conseguimos mais plantar e, o pior, estamos passando sede, dependendo de caminhão-pipa”, relatou.

Além disso, o professor e um dos coordenadores do movimento Salve as Serras, Juracy Marques reforçou o alerta como pesquisador para o atual cenário de escassez hídrica. “As nascentes e rios estão morrendo, temos comunidades inteiras passando sede, então além de denunciar e cobrar, precisamos fazer alguma coisa urgente para buscar reverter esse cenário”.


Veja as fotos do encontro:


O prazo total de conclusão do Termo de Referência é de 120 dias e posteriormente, o CBHSF deverá lançar licitação para contratação de empresa especializada para elaboração dos serviços apontados no documento. “Este é um projeto importante para o ecossistema da comunidade e também do Rio São Francisco. Com o desenvolvimento das ações, todos ganharão porque o grande objetivo é proteger e cercar as nascentes, recuperar as áreas degradadas gerando a partir deste momento um sentimento de posse da comunidade para que este projeto possa se prolongar ao longo do rio e tenhamos como consequência a melhoria da qualidade de vida da população”, concluiu o coordenador da Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco, Julianeli Lima.

O edital de chamamento aos interessados em serem contemplados com a contratação de projetos com foco na Sustentabilidade Hídrica do Semiárido vai atender as quatro regiões fisiográficas da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (Alto, Médio, Submédio e Baixo).

 

Assessoria de Comunicação CBHSF:
TantoExpresso Comunicação e Mobilização Social
*Texto e fotos: Juciana Cavalcante

De acordo com o plano, a vacinação ocorrerá na próxima quarta-feira (20), em todas as unidades básicas de saúde, tanto da sede quanto da zonal rural. Segundo a secretária de Saúde, Raquel Bonfim, neste primeiro momento da fase 1 da campanha, apenas os profissionais de saúde, que trabalham na linha de frente no combate à pandemia e os que atuam em unidades de saúde de urgência e emergência serão imunizados.  
“Quanto aos demais públicos prioritários e o restante da população a serem alcançados, dependemos do cronograma nacional do Ministério da Saúde, em consonância com a quantidade de doses a serem encaminhadas para Governo do Estado que, por sua vez,  repassará ao nosso município”, disse Raquel Bonfim.
A LOGÍSTICA - As primeiras doses da vacina Coronavac estavam previstas para chegar na Bahia por volta das 18h, desta segunda (18). Foram encaminhadas ao estado mais de 370 mil doses do imunizante, que deve ser aplicado em cerca de 180 mil pessoas. 
Assim que chegar à Bahia, a vacina será levada para a sede do Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia. O local foi escolhido como ponto de guarda do imunizante, onde foi montada, pela Sesab, uma sala de refrigeração para abrigar as doses. A depender do horário da chegada, a estimativa é de que as vacinas permaneçam nesta sala por aproximadamente três horas.

Após a chegada na sede do Graer será iniciado o processo de separação e distribuição para os 417 municípios baianos. De acordo com a Sesab, cerca de 45 mil doses serão disponibilizadas para Salvador e, por motivo de segurança, a quantidade das doses que serão destinadas aos demais municípios não será divulgada.


Assessoria de Comunicação Social

A Prefeitura de Senhor do Bonfim inicia as 09h00 desta quarta-feira (20) a primeira etapa de vacinação contra Covid-19. As primeiras doses serão aplicadas em idosos que vivem em asilos e profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate a Covid-19 em hospitais e nas unidades de urgência e emergência.

O Município recebeu na manhã desta terça-feira (19), 837 doses da vacina Coronavac, enviadas pelo Ministério da Saúde. 

O montante é suficiente para imunizar 418 pessoas, considerando a necessidade de aplicação de duas doses para complementar o ciclo de imunização em um período recomendado, de duas a quatro semanas. 

• Imunização de profissionais de saúde e institucionalizados 

Serão imunizados os profissionais de saúde que atuam na linha de frente que atuam na UPA, SAMU e profissionais do Hospital Dom Antônio Monteiro. Nestes locais, equipes próprias irão aplicar as doses.

A vacinação deve acontecer simultaneamente nos hospitais, unidades de atendimento 24 horas e instituições de permanência de idosos (asilos). 


ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro”

As secretarias estaduais do Meio Ambiente (Sema) e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) selaram, nesta terça-feira (19), o compromisso do estado da Bahia com a promoção de políticas públicas de regularização ambiental e desenvolvimento sustentável dos povos e comunidades tradicionais. O Termo de Acordo de Cooperação Técnica (ACT) foi assinado pelos secretários João Carlos Oliveira e Fabya Reis, e a diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Márcia Telles.

O ACT vai permitir um melhor alinhamento entre as ações dos órgãos na regularização ambiental através da inscrição dos territórios tradicionais no Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (Cefir). Além disso, está garantido o monitoramento do cadastramento, assistência técnica e possibilidade de acesso a créditos financeiros. A Sema, com interveniência do Inema e apoio da Sepromi, coordenará os processos de regularização ambiental, fortalecendo as políticas públicas e garantindo os direitos culturais, sociais, ambientais e territoriais das populações tradicionais.

"As ações da Sema sempre foram pautadas na inclusão dos povos e comunidades tradicionais, mas faltava um elo institucional com a secretaria que trata diretamente sobre a temática, que é a Sepromi. Então, com essa assinatura garantimos que os projetos e programas da Sema sejam potencializados por meio de cooperação técnica e possíveis descentralizações de recursos, para que o estado possa avançar em outras iniciativas que beneficiem as populações tradicionais", destacou o secretário João Carlos Oliveira.

Para a secretária Fabya Reis, o ACT fortalece ainda mais as ações integradas entre as secretarias, conforme orientações do próprio governador Rui Costa.  "O acordo tem o objetivo de pensar as políticas de desenvolvimento para as comunidades tradicionais da Bahia, reforçando, sobretudo, a política de regularização fundiária, uma vez que é importante a preservação do meio ambiente das áreas de reservas que envolvem em grande medida as áreas das comunidades tradicionais", destaca.

De acordo com o documento, a Sepromi ficará responsável em disponibilizar informações sobre o perfil socioeconômico dos segmentos de povos e comunidades tradicionais e dos diagnósticos dos Planos de Desenvolvimento Socioeconômico e Ambiental Sustentável – PLANSEAS e realizar o mapeamento e certificar as comunidades de fundo e fecho de pasto no âmbito do Estado da Bahia.

O Acordo irá garantir ainda capacitações das comunidades tradicionais visando à autonomia no processo de regularização ambiental; recuperação de áreas degradadas, valorização e promoção das cadeias da sociobiodiversidade e conservação ambiental; fortalecimento da governança ambiental dos envolvidos; além de buscar recursos para a recomposição de passivos ambientais em territórios tradicionais, aliando recuperação ambiental e geração de renda.

Reforçando a importância da regularização ambiental dos territórios tradicionais, a diretora-geral do Inema, Márcia Telles destacou que o órgão estará inteiramente disponível para orientar e fazer com que essas comunidades possam ter suas propriedades cadastradas o mais rápido possível. 

http://www.meioambiente.ba.gov.br/2021/01/12131/Bahia-garante-regularizacao-ambiental-de-povos-e-comunidades-tradicionais.html


  Atenciosamente,


MARI themes

Tecnologia do Blogger.