Saiba como atuarão os vereadores de Jaguarari na administração do prefeito Everton Rocha

A Câmara de Jaguarari, composta de 13 (treze) vereadores, que representam 8 (oito) partidos: PSDB (Reges do Joel, Márcio Gomes e William Rogers), PDT (Franco Melo, Budé e Louri da Barrinha), PV (Marcos Quito e Paulinho Morgado), PP (Josimar Zuza), PSD (Neném do Catuni), SD (Zé Galego), MDB (Dourival Borges) e PT (Val). 
Após alguns meses de gestão, a maioria dos vereadores da base do prefeito Everton romperam politicamente e junto com a oposição passaram a compor uma bancada com 12 (doze) contra 01 (01 – vereador Louri da Barrinha), união que durou durante todo o processo da primeira cassação. Com o desenrolar da segunda e terceira cassações, os vereadores Dourival Borges e Reges do Joel, que na tribuna fizeram vários posicionamentos fortes contra o governo “uma cidade para todos”, voltaram seu apoio ao ex-adversário.
Há poucos dias da primeira decisão liminar favorável ao ex-prefeito Everton Rocha, os vereadores Louri da Barrinha e Reges do Joel declaram apoio ao prefeito Fabrício D’Agostino, mas com as batalhas judiciais no TJBA e as recentes decisões liminares do presidente do judiciário baiano, Everton Rocha retornou ao cargo, em 01/11/2018 e com o seu retorno, Louri e Reges se juntaram com Dourival Borges e voltaram a apoiar o Rocha.
E os demais vereadores, como se posicionarão a partir daqui?
Nossa reportagem conversou com os 10 (dez) vereadores, neste domingo (11/11/2018) e obteve as seguintes respostas:
O vereador Budé disse que não há possibilidade de apoiar politicamente o atual prefeito, que segundo ele, retirou a ambulância do distrito de Juacema e demitiu todas as pessoas ligadas a ele.
O vereador Josimar Zuza disse que não tem pretensões de apoiar o atual prefeito e que segue a vontade de seu povo.
O vereador Neném do Catuni disse que repudia a atitude da atual administração, que demitiu professores contratados quase no fim do ano letivo e que esta atitude prejudica as crianças, e que não apoiará de forma alguma o governo de Everton Rocha.
O vereador Val afirmou também que seguirá na oposição.
O vereador Marcos Quito disse que não há a menor possibilidade apoiar politicamente o atual gestor.
O vereador Zé Galego disse ter saído do grupo do prefeito Everton Rocha e sua saída foi definitiva.
O vereador William Rogers disse “Minha postura ao longo desses, a começar pelo ano de 2017 já responde por si só”. Ou seja, também não apoiará politicamente a administração atual.
O vereador Franco Melo segue o mesmo posicionamento dos seus colegas acima mencionados.
O vereador Paulinho Morgado disse que não apoiará politicamente a administração do prefeito Everton Rocha e que seguirá fazendo seu papel de legislador.
O vereador e presidente da Câmara, Márcio Gomes, disse que não abrirá mão de fiscalizar os atos do executivo, mas se manterá politicamente neutro.