"Preso de ótimo comportamento", diz exame criminológico de Alexandre Nardoni

"Preso de ótimo comportamento, capaz de criar e manter vínculos afetivos", afirmam seis peritos judiciais no exame criminológico do detento Alexandre Alves Nardoni, preso há 10 anos no presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, pelo assassinato da filha Isabella.
Em setembro, a defesa de Nardoni pediu à Justiça paulista que o preso fosse beneficiado com a progressão para o regime semiaberto. Ele foi condenado a 30 anos de reclusão. Contrário à concessão, o Ministério Público pediu que Nardoni se submetesse ao exame criminológico.
Favorável ao desejo de Nardoni, o resultado do laudo foi divulgado na noite deste domingo (4) pelo programa "Fantástico", da "TV Globo".
O exame criminológico é realizado por psicólogos, psiquiatras e assistentes sociais do sistema prisional. Sua função é avaliar se o preso "merece" ou não receber a progressão de regime.
Os peritos avaliaram positivamente o trabalho feito pelo condenado na prisão: a confecção e reforma de cadeiras, de ferro e madeira, utilizadas em escolas estaduais de São Paulo.
Em seu depoimento, Nardoni afirmou que sente a falta da filha e não consegue entender as razões que levaram à morte dela. "Junto com Isabella morreu parte de mim e me nunca mais sentirei completo".
O promotor de Justiça Luiz Marcelo Negrini pediu que o preso passe por um exame considerado ainda mais aprofundado do que o criminológico, o Teste de Rorschach.

Fonte: UOL