Assembleia do SINDSPUJ avalia a segunda proposta do governo, delibera e a greve pode estar próximo de um desfecho!

Em assembleia realizada no dia 16/11/2018, servidores públicos municipais de Jaguarari analisaram a segunda proposta do governo municipal que define o pagamento do reajuste salarial com o retroativo de direito. Nesta proposta o governo propõe pagar o reajuste do Piso do Magistério de 6,81% para os professores e 5% para as demais categorias a partir de dezembro do ano em curso, e o retroativo referido, a partir de fevereiro de 2019, parcelado e vinte vezes.

Vale destacar que a proposta de reajustar os salários em dezembro, já havia sido avaliada como uma boa proposta pelos servidores na assembleia anterior (de 09/11/2018), embora o entrave naquele momento, foi por conta da indefinição do pagamento do retroativo.

E ao avaliar essa proposta de receber o retroativo em vinte vezes, a assembleia achou que o número de parcelas é demais, o que leva o município a passar quase dois anos para quitar todo o pagamento. Porém, ao ponderar a alegação do governo de que esta seria a única condição que o município teria para honrar a dívida, decidiu aceitar a proposta, mesmo sabendo o quanto é sacrificante receber um retroativo salarial dividido em 20 vezes.

Importante ressaltar, que um dos motivos dos servidores em assembleia haverem aceitado a proposta de retroativo parcelado em 20 vezes, foi por saber, que o governo se propôs através de ofício, “realizar as discussões e debates necessários de data-base de 2019 no mês de fevereiro/2019.”

A assembleia referida fez essa deliberação, enfatizando que cada parcela do retroativo em relato, é a diferença entre salário reajustado em dezembro de 2018 e salário atual de cada servidor público com matrícula na Prefeitura Municipal de Jaguarari, ciente de receber este direito a partir de fevereiro de 2019, conforme proposta do governo.

A assembleia também deliberou, que até que a proposta de reajuste salarial supracitada e o seu retroativo devido (agora consenso entre SINDSPUJ e Governo) sejam expressos em projeto de lei, para assim ser apreciado, votado, aprovado pela Câmara Municipal de Jaguarari e sancionado pelo Executivo Municipal, a greve está mantida por uma questão de garantia de efetivação dos direitos, principalmente, naquilo que se refere a autorização de reajuste salarial e a forma de pagamento do retroativo conforme consenso.

Oportuno destacar que, apesar do Piso do Magistério está garantido em Portaria Ministerial de janeiro do ano corrente, o seu retroativo em relato, é uma particularidade vivenciada pelos servidores de Jaguarari, por isso, reivindica-se a sua garantia em lei, a ser votada na Câmara deste município.
[
Faz-se indispensável dizer, que o Governo foi informado das deliberações da assembleia em relato, ainda na tarde de 16/11/2018, haja vista que os servidores pediram agilidade da Diretoria do SINDSPUJ, em virtude da efetivação urgente dos direitos. Assim que tudo seja concretizado sem prejuízos no âmbito dos direitos reivindicados, a greve se fará desnecessária.

Sendo assim, diante das deliberações dessa última assembleia e da conjuntura atual da negociação entre sindicato e governo, acreditamos estar próximo, um desfecho que resulte na efetivação urgente dos direitos.

Até lá, a greve se faz necessária!

Na certeza do direito efetivado,

DIRETORIA EXECUTIVA