Resultado de imagem para tribunal de contas dos municipios
A Sessão Ordinária da Câmara de Jaguarari, convocada para esta quinta-feira, 22, que tem em sua pauta o julgamento do parecer do Tribunal de Contas dos Municípios -TCM, que opina pela reprovação das contas do exercício financeiro do ano de 2016, do ex-prefeito Antônio Ferreira do Nascimento (PT), corre risco de ser anulada. De acordo com um Ofício protocolado na Casa Legislativa na tarde desta quarta-feira, 21, pelos vereadores William Rogers (PSDB) e Zé Galego (SD) a preocupação dos edis, diz não se tratar de questões político-partidárias, mas sim ao fato de que a presidência da Casa (vereador Márcio Gomes) não teria respeitado o Regimento Interno e isso poderá causar a anulação da Sessão e consequentemente todas as decisões ali tomadas.
Segundo o questionamento dos vereadores em tela, o Regimento Interno da Câmara, diz:
Artigo 205. “O parecer prévio do TCM, independentemente de leitura em plenário, o Presidente (Márcio Gomes) fará distribuir cópias do mesmo, bem como do balanço anual a todos os vereadores, notificando em seguida, o interessado para apresentar sua defesa no prazo de 8 (oito) dias, e logo após deverá encaminhar o processo à Comissão de Finanças e Orçamento que terá 20 (vinte) dias para apresentar ao Plenário seu parecer, acompanhados do projeto de decreto legislativo, pela aprovação ou rejeição das contas”.

Diante desta situação de inobservância prudencial do Regimento Interno, William e Zé Galego demonstram preocupação e dizem que sequer receberam cópia do parecer do Tribunal de Contas relativo ao exercício financeiro de 2016, medida que se impõe, segundo eles, independentemente de leitura, uma caso análogo, conforme manifestou o Tribunal de Justiça da Bahia, em caso semelhante no município de Anagé-Ba, quando não foi respeitado o Regimento Interno da Câmara e o caso foi parar na Justiça, com sérios riscos de anulação da Sessão julgadora. “É esta situação que nos preocupa, assim também como a falta de conhecimento prévio do que estaremos votando, pois se não recebemos cópia do parecer e processo e não se está respeitando o Regimento Interno, como poderemos ter convicção do que iremos votar? Sabemos que em partes o voto é político, mas isso não nos tira o direito de conhecer as ponderações do TCM, até porque existem pessoas que nos acompanham que são favoráveis e contrárias a aprovação, e precisamos desse embasamento, dessa discussão mais aprofundada, para não sermos injustos em nossos votos”, destacou Rogers e Galego.
Conforme exposto à nossa reportagem, os vereadores solicitaram à mesa da Câmara, que use da prudência, bom senso e respeito ao Regimento Interno e remarque uma nova data para que, de posse de cópias do parecer técnico do TCM e íntegra do processo, possam analisar e emitirem seus votos pela aprovação ou não, com base no que vierem a ter conhecimento. Resta saber se o presidente da Casa, o vereador Márcio Gomes (PSDB) irá atender a solicitação dos colegas ou correrá o risco, de acordo com as alegações acima citadas, de o resultado da Sessão ir parar no Tribunal de Justiça.
Quem assina o ofício são os vereadores William Rogers de Souza Santos e José Gonçalves Filho

Alguns familiares de estudantes da Escola de Produção do povoado de Flamengo, zona rural de Jaguarari, entraram em contato com nossa equipe para expor uma situação no mínimo constrangedora, aonde a nova direção posta depois do retorno do prefeito Everton Rocha, estaria barrando os estudantes de adentrar a instituição escolar para assistir as aulas pelo único fato de não estarem uniformizados.
Os familiares relatam que a antiga direção reuniu os pais dos alunos e os informou que devido a instabilidade política em Jaguarari, o uso do uniforme seria opcional, porém uma nova direção estaria enviando "recados" através dos alunos para seus pais, que o uso do uniforme é sim obrigatório.
"Entrou um novo diretor e tá fazendo os alunos voltar pra casa por que eles não têm farda. Em pleno fim de ano escolar ele tá fazendo várias exigências e as mães dos alunos já não aguentam mais recados", disse uma senhora que tem seis sobrinhos estudando na escola.
A mesma senhora fala que a nova direção poderia solicitar uma reunião com a presença dos pais para explicar a situação, mas insiste em enviar "recados", ela completa a denúncia com uma exigência no tanto estranha, em que os alunos não podem ir a escola com blusas de frio, "a nova direção tinha que pelo menos chamar os pais e pronunciar essas exigências, mas não fazem isto ficam só mandando recado pelas crianças. Quer proibir os alunos de irem de blusa de frio e exigiu que a partir de segunda tem que ir de tênis todos os alunos", finalizou.
Sobre o uso do uniforme
Situações como essa ainda acontecem em instituições que desconhecem que o direito ao acesso à Educação, previsto no artigo 208 da Constituição Federal, está acima de leis estaduais e municipais ou normas internas. Qualquer disposição em contrário - mesmo que esteja presente no regimento - é ilegal.
O espaço encontra-se aberto para pronunciamento da direção da Escola de Produção de Flamengo ou da Secretaria de Educação, sobre os fatos acima expostos.

Fonte: Portal Jaguarari

Resultado de imagem para importação
O atual prefeito de Jaguarari, Everton Rocha, há 21 dias frente a administração da prefeitura, ainda não fechou o quadro de secretariado, tampouco dos cargos de segundo e terceiro escalão. Nos bastidores, segundo fontes ligadas ao chefe do executivo, a disputa pelas vagas de melhores salários e mais visibilidade segue tão acirrada que alguns nomes fortes já começam a se afastar, tamanha é a “bomba” que poderá se tornar a gestão pública.
Um dos estopins que está prestes a estourar (fato que estaria gerando discórdia interna) gira em torno do possível “dono” da pasta da saúde, “menina dos olhos do então prefeito”. Nossa equipe recebeu informações de umas fontes insatisfeitas e que pediram que preservasse seus nomes, que a secretaria de saúde está quase definida para ser gerida por uma pessoa da capital do estado, ainda segundo estas fontes, possivelmente este “futuro secretário” seja uma pessoa ligada a uma cooperativa que presta serviços de saúde no estado da Bahia e não estaria sendo bem vista por membros do governo, que discordam da importação de secretários, como também fez D’Agostino com a secretária de educação, e menos ainda com um secretário ligado a empresa.
Também é notório os burburinhos dos bastidores, que a prefeitura cogita contratar duas ou três empresas: uma na área de locação de veículos para a secretaria de educação, uma para a coleta de lixo e uma outra para locação de veículos diversos.
Devido ao horário em que fechamos esta matéria, não foi possível entrar em contato com a assessoria da prefeitura de Jaguarari, mas o espaço estará à disposição, caso seja de interesse prestar algum esclarecimento.

O prefeito Everton Rocha (PSDB), publicou no Diário Oficial do Município, edição desta quarta-feira, 21, a exoneração do advogado adjunto, Dr. Emerson Augusto Gonçalves Correia. Dr. Emerson, um dos mais fiéis profissionais da área que permaneceu no grupo "rocha".
Até o fechamento desta matéria não conseguimos informações da motivação da exoneração de Dr. Emerson Augusto.

O fornecimento de água no município de Uauá, no distrito de Pilar e nas localidades de Bom Despacho, Santa Rosa de Lima e Sussuarana, em Jaguarari, será interrompido emergencialmente na noite desta quarta-feira (21) para a realização de serviços de manutenção na estação de tratamento de água que atende as localidades citadas. Os serviços estão previstos para serem concluídos amanhã (22), às 12h. Após a conclusão, o abastecimento de água será retomado, com atendimento gradativo. Imóveis com reservação adequada e suficiente poderão sentir menores efeitos da interrupção.

Atenciosamente
Assessoria de Comunicação da Embasa

Em tempos de crise, toda “doação ou ajuda” são sempre bem-vindas, claro! E agradecer a quem “doa” é um gesto de reconhecimento por quem “faz alguma boa ação” em prol de uma comunidade, é assim que se sente os moradores de Jaguarari: agradecidos a empresa, supostamente da cidade de Irecê-Ba, que em pouco mais de 72 (setenta e duas) horas efetuou a troca das lâmpadas e reatores queimados dos postes que iluminam as margens da BR 407, no perímetro urbano de Jaguarari e também a Avenida Clementino Cunha. Já que a prefeitura não realizou o serviço, a população agradece do fundo do coração a esta “empresa” que não foi identificada no Diário Oficial do Município e que, ao que tudo indica, fez todo o serviço voluntariamente.
Parabéns a esta empresa pela brilhante iniciativa, que sirva de exemplo para tantas outras.


Em assembleia realizada no dia 16/11/2018, servidores públicos municipais de Jaguarari analisaram a segunda proposta do governo municipal que define o pagamento do reajuste salarial com o retroativo de direito. Nesta proposta o governo propõe pagar o reajuste do Piso do Magistério de 6,81% para os professores e 5% para as demais categorias a partir de dezembro do ano em curso, e o retroativo referido, a partir de fevereiro de 2019, parcelado e vinte vezes.

Vale destacar que a proposta de reajustar os salários em dezembro, já havia sido avaliada como uma boa proposta pelos servidores na assembleia anterior (de 09/11/2018), embora o entrave naquele momento, foi por conta da indefinição do pagamento do retroativo.

E ao avaliar essa proposta de receber o retroativo em vinte vezes, a assembleia achou que o número de parcelas é demais, o que leva o município a passar quase dois anos para quitar todo o pagamento. Porém, ao ponderar a alegação do governo de que esta seria a única condição que o município teria para honrar a dívida, decidiu aceitar a proposta, mesmo sabendo o quanto é sacrificante receber um retroativo salarial dividido em 20 vezes.

Importante ressaltar, que um dos motivos dos servidores em assembleia haverem aceitado a proposta de retroativo parcelado em 20 vezes, foi por saber, que o governo se propôs através de ofício, “realizar as discussões e debates necessários de data-base de 2019 no mês de fevereiro/2019.”

A assembleia referida fez essa deliberação, enfatizando que cada parcela do retroativo em relato, é a diferença entre salário reajustado em dezembro de 2018 e salário atual de cada servidor público com matrícula na Prefeitura Municipal de Jaguarari, ciente de receber este direito a partir de fevereiro de 2019, conforme proposta do governo.

A assembleia também deliberou, que até que a proposta de reajuste salarial supracitada e o seu retroativo devido (agora consenso entre SINDSPUJ e Governo) sejam expressos em projeto de lei, para assim ser apreciado, votado, aprovado pela Câmara Municipal de Jaguarari e sancionado pelo Executivo Municipal, a greve está mantida por uma questão de garantia de efetivação dos direitos, principalmente, naquilo que se refere a autorização de reajuste salarial e a forma de pagamento do retroativo conforme consenso.

Oportuno destacar que, apesar do Piso do Magistério está garantido em Portaria Ministerial de janeiro do ano corrente, o seu retroativo em relato, é uma particularidade vivenciada pelos servidores de Jaguarari, por isso, reivindica-se a sua garantia em lei, a ser votada na Câmara deste município.
[
Faz-se indispensável dizer, que o Governo foi informado das deliberações da assembleia em relato, ainda na tarde de 16/11/2018, haja vista que os servidores pediram agilidade da Diretoria do SINDSPUJ, em virtude da efetivação urgente dos direitos. Assim que tudo seja concretizado sem prejuízos no âmbito dos direitos reivindicados, a greve se fará desnecessária.

Sendo assim, diante das deliberações dessa última assembleia e da conjuntura atual da negociação entre sindicato e governo, acreditamos estar próximo, um desfecho que resulte na efetivação urgente dos direitos.

Até lá, a greve se faz necessária!

Na certeza do direito efetivado,

DIRETORIA EXECUTIVA

A Câmara de vereadores de Jaguarari votará o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios – TCM, que reprovou a prestação de contas do ex-prefeito, Antônio Nascimento (PT), referentes ao exercício financeiro do ano de 2016. Se mantida decisão técnica do TCM, Antônio Nascimento correrá o risco de ficar inelegível para o pleito de 2020. Para que isso não aconteça, o ex-chefe do executivo, que administrou o município de 01/01/2009 a 31/12/2016, precisa de pelo menos 9 (nove) votos contrários a condenação do órgão de controle. A expectativa em torno do posicionamento de cada um dos 13 (treze) vereadores é muito grande, pois diante de toda a crise política, jurídica e financeira em que se encontra Jaguarari, grande parte da população enxerga em Antônio Nascimento a possibilidade do retorno da estabilidade política, econômica, moral e ética.
Na votação das contas de 2015, as quais o TCM aprovou, alguns vereadores, sob a alegação de “voto político”, votaram contra o parecer positivo do órgão, na tentativa de prejudicar o ex-prefeito e desta vez, usarão qual argumento, já que na ocasião tentaram ir contra a análise técnica que opinava pela aprovação e agora segue em linha contrária?
A Sessão e todos os posicionamentos serão transmitidos ao vivo pelo facebook.com/jaguararionline

A prefeitura de Jaguarari, no Piemonte Norte do Itapicuru, que atravessa uma das piores crises jurídica e política de sua história, que até a presente data não pagou os salários dos servidores da educação (efetivos e concursados), recebeu nos últimos 10 dias, ou seja, entre os dias 1º e 20 de novembro, o valor de R$ 3.273.017,16 (três milhões, duzentos e setenta e três mil, dezessete reais e dezesseis centavos).
Confira o detalhamento:
FPM - Fundo de Participação dos Municípios: R$ 1.756.324,31
ITR - Imposto Territorial Rural: R$ 358,17
ICS - ICMS Estadual: R$ 849.113,60
CFM - Departamento Nacional de Produção Mineral: R$ 1.378,72
IPM - IPI Exportação - Cota Município: R$ 6.885,59
FUNDEB - Fundo Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação: R$ 613.208,01
SNA - Simples Nacional: R$ 4.723,90
IPV - IPVA-Imposto sobre Prop. Veículos Automotores: R$ 34.599,97
CBA - FCBA-Fundo de Cultura da Bahia-LEI EST 9431: R$ 6.424,89
TOTAL: R$ 3.273.017,16

Fonte: Banco do Brasil


Resultado de imagem para iptu
O Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU é uma taxa que é paga sobre um imóvel ou terreno. A cobrança do imposto é determinada pelo Artigo 156 da Constituição Federal. Todo o dinheiro que é arrecadado com a cobrança vai para os cofres da Prefeitura, que o usa para custear despesas municipais.
Mas no município de Jaguarari, a exatos 42 (quarenta e dois) dias do final de 2018, o setor de tributos da prefeitura municipal ainda não emitiu os boletos para pagamento, o que normalmente são gerados e entregues com taxa única e a opção de pagamento parcelado. Com tanto atraso na entrega, resta saber quais critérios e valores serão utilizados e cobrados dos contribuintes e se haverá tempo para possíveis contestações de valores, que por ventura venham acima do normal.

Há pouco publicamos que o STJ negou recurso de Fabrício D’Agostino, vamos a decisão:
Após a realização da Sessão de 30/11/2017, que acatou a denúncia contra o prefeito Everton Rocha, Valney Vitor da Silva, Eliana Santos de Almeida, Adimilson Ferreira da Silva, Tâmara Oliveira de Aquino, Messias Barbosa Bispo e Vinicius Ferreira aos Santos entraram com ação na Justiça pedindo a suspensão e anulação da referida Sessão, que foi aceita pela Juíza local, que determinou a realização de uma nova Sessão dentro do prazo de 10 dias, em local que coubesse todo o público que quisesse assistir.
A Câmara recorreu em 19/12/2017, a então Presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), Desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, que deferiu o pedido de suspensão da liminar concedida na ação anulatória, mantendo, assim, os efeitos dos atos já praticados na sessão impugnada.
Em 30/1/2018, a Desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago indeferiu o pedido de reconsideração apresentado pelos interessados contra a decisão suspensiva proferida.
Em 23/10/2018, o Presidente do TJBA, Desembargador Gesivaldo Britto, nos autos da suspensão de liminar, ao apreciar agravo interno interposto pelos interessados, reconsiderou as duas decisões da então Presidente do Tribunal, a saber, a decisão suspensiva e a decisão no pedido de reconsideração, e indeferiu o pedido de suspensão formulado pela Câmara dos Vereadores.
Em 1º/11/2018, o Desembargador Ivanilton Santos da Silva, relator, proferiu decisão liminar no Agravo de Instrumento n. 8001302-20.2017.8.05.0000, para dar efeito ativo ao recurso e “[...] suspender, de imediato, os efeitos da decisão agravada, propiciando à Câmara Agravante a se abster de realizar nova sessão legislativa em substituição àquela realizada em 30/11/2017”.
No dia 9/11/2018, nos autos da referida ação anulatória em trâmite na origem, a Juíza Marivalda Almeida Moutinho proferiu decisão, tendo adotado o entendimento de que "[...] haveria de prevalecer não a decisão monocrática editada pelo Relator do Agravo de Instrumento n. 8001302-20.2017.8.05.0000 – que suspendeu, em sede de controle da legalidade do ato, a eficácia de liminar do juízo primevo – mas sim a decisão do Presidente do Tribunal a quo que reconsiderou, em sede de controle político, comando anterior que havia acolhido pleito de suspensão de liminar formulado pela Câmara Municipal de Jaguarari-BA".
E o Ministro passa a relatar a sua decisão/entendimento:
Na excepcionalidade do presente caso, os efeitos da decisão ora impugnadaque foi restaurada após o indeferimento do pedido suspensivo e que determinou a anulação da referida sessãovigoraram até o momento em que foram imediatamente suspensos pela decisão liminar proferida pelo Desembargador Ivanilton Santos da Silva no Agravo de Instrumento n. 8001302-20.2017.8.05.0000, no dia 1º/11/2018.
Sobre a decisão da Juíza Marivalda Coutinho, o Ministro escreve:
Não obstante serem estreitos os limites da apreciação do pedido suspensivo, registre-se que o entendimento adotado na decisão proferida, em 9/11/2018, pela Juíza Marivalda Almeida Moutinho na Ação Anulatória n. 8000697-45.2017.8.05.0139 afronta as disposições da Lei n. 8.437/1992.
Diante disso, verifica-se a imprecisão dessa decisão, pois, apesar de ter-se considerado, acertadamente, que a suspensão vigorará até o trânsito em julgado da decisão de mérito na ação principal, equivocou-se por não ter reconhecido que, nos termos da legislação de regência, essa hipótese somente ocorrerá quando o pedido suspensivo for deferido.
No caso, o Desembargador Gesivaldo Britto, nos autos da SL n.8001314-34.2017.8.05.0000, indeferiu o pedido suspensivo formulado pela Câmara dos Vereadores. Portanto, é infundado o entendimento adotado pela Juíza Marivalda Almeida Moutinho.
 Assim, após os devidos esclarecimentos acerca do escopo do pedido de suspensão, cabe destacar que a decisão liminar proferida no Agravo de Instrumento n.8001302-20.2017.8.05.0000, que suspendeu a decisão impugnada neste feito, encontra-se em plena vigência.
E finaliza julgando prejudicado o pedido de suspensão, pois, segundo o entendimento jurídico, o Fabrício D’Agostino deveria ter recorrido da decisão da Juíza Marivalda Moutinho, requerendo a reformulação da decisão por ela proferida, junto à Terceira Câmara do Tribunal de Justiça da Bahia e não ao Superior Tribunal de Justiça.
Assim, de direito, a cadeira de prefeito de Jaguarari deveria está ocupada por Fabrício Santana D’Agostino e não por Everton Carvalho Rocha.
Agora compete ao jurídico de D’Agostino buscar a reformulação da decisão infundada proferida pela Juíza Marivalda Moutinho, junto ao Juízo local ou diretamente ao TJBA.
Aproveitamos para pedir desculpas pelo mal-entendido, quando divulgamos parcialmente a decisão.

O vice-prefeito de Jaguarari, Fabrício D’Agostino (DEM), que administrou o município no período de 03 de abril a 31 de outubro de 2018, foi deposto do cargo por força de liminares do Tribunal de Justiça da Bahia – TJBA na última quinta-feira, 01/11/2018, quando reassumiu a cadeira de prefeito, o Sr. Everton Carvalho Rocha (PSDB). Fabrício então entrou com um recurso (pedido de suspensão de liminar) no Superior Tribunal de Justiça – STJ, contra as decisões do TJBA, na segunda-feira (5/11), mas o Ministro João Otávio de Noronha julgou prejudicado o pedido de suspensão, ou seja, negou recurso impetrado. Caso D’Agostino alimente ainda a esperança de retornar ao cargo de prefeito, deverá recorrer ao Supremo Tribunal Federal – STF ou aguardar alguma mudança de decisão do TJBA. Enquanto isso Fabrício D’Agostino continua sua vida ao lado de sua esposa na capital baiana e a receber (R$ 8.250), mensalmente, como vice-prefeito de Jaguarari.

A empresa de locação de veículos à educação, na administração do ex-prefeito Fabrício D’Agostino, que estava devendo o mês de setembro, mesmo após ter passadas mais de duas semanas que a prefeitura havia efetuado o pagamento, enfim pagou na última quarta-feira, 14/11 o pagamento aos donos dos transportes locados. Com a mudança de prefeito, a prefeitura ainda não repassou a RADIAL os valores referentes ao mês de outubro e consequentemente os transportes ainda não receberam os valores do mês de outubro, resta saber se o atual prefeito, Everton Rocha, terá a sensibilidade não deixar os proprietários no prejuízo.

O Comitê 9840 de Jaguarari, que tem como um dos principais objetivos fiscalizar e denunciar atos de corrupção no município acaba de sofrer uma baixa, já que um dos seus membros foi nomeado a um cargo comissionado na administração da prefeitura de Jaguarari, pelo prefeito Everton Rocha. Vinicius Ferreira dos Santos é um dos membros da diretoria do “Comitê 9840”, mas com a nomeação, sua atuação frente a possíveis denúncias de corrupção dificilmente poderá ter efeito, já que teria que denunciar o seu próprio patrão, o prefeito. Vinicius Santos também foi um dos autores do pedido de anulação da Sessão da Câmara de vereadores, do dia 30/11/2017, a qual acatou a denúncia contra o prefeito Everton Rocha e formou CPP 01/2017.
Esta nomeação, ao passo que emprega um jovem pai de família, traz uma perda significativa para a causa que tanto foi defendida nos últimos sete meses, por sinal, foram várias as denúncias formuladas e tornadas públicas pelo Comitê 9840, mas que estranhamente cessaram assim que o prefeito Everton Rocha retornou ao cargo, em 01/11/2018.
A população jaguarariense clama: #voltacomitê9840

A Associação Comercial Industrial e Agrícola de Jaguarari e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Pilar estão promovendo a campanha natalina "NATAL DOS SONHOS: MORO AQUI COMPRO AQUI"

A campanha que foi lançada no dia 1° de novembro, na sede de Jaguarari, e na última quinta-feira (8/11) acompanhada de uma carreata saindo do Supermercado MM, percorreu várias ruas do distrito Pilar.
Essa campanha representa uma excelente iniciativa dos comerciantes, que buscam o fortalecimento do comércio local e melhora nas vendas para o final de ano.
Toda compra realizada no comércio do município, nas lojas credenciadas, exija o seu cupom, preencha, deposite na urna e concorra a um RENAULT KWID 0 km no dia 12 de janeiro de 2019.

Atenção Servidor! Convocação!

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jaguarari, convoca todos servidores públicos em greve, para uma Mobilização, nesta sexta (16/11/2018), as 9:00h, no Centro Comunitário de nossa cidade.  

Estamos falando de 30% de servidores em greve, que conforme organização grevista, não irão aos setores de trabalho na data referida ou no turno matutino.

Esta mobilização é pelo cumprimento de leis e pela reposição das perdas salariais, urgentemente! 

É mais um movimento de servidores em Greve, para fazer com que o Governo Municipal atenda as reivindicações deste sindicato. 
                                
Em tempo, também convoca todos os servidores públicos para uma Assembleia Geral Extraordinária, que acontecerá no dia exato dessa mobilização, no centro referido. 

Contamos com a adesão dos servidores em massa.

Atenciosamente,
                     
DIRETORIA EXECUTIVA DO SINDSPUJ

Resultado de imagem para secaMoradores das comunidades de Lagoinha, Varzinha e Brito, que juntas somam cerca de 150 famílias, estão sem água para o consumo humano. Segundo informações, o poço chamado de “poço do gato” está quebrado há aproximadamente dois meses e abandonado e corre risco de vândalos furtarem os canos. Era este poço que fornecia água e atendia as necessidades das comunidades. Os reclamantes alegam que outro poço, o da tapagem, consertado recentemente, está ativo, mas o custo para um carro pipa pegar a água é de R$ 100,00 (cem reais). Ainda de acordo com os moradores, a prefeitura está liberando carro pipa para outras comunidades, menos para eles e que se até terça-feira (20) não houver uma solução, irão protestar e impedir que carros pipa peguem água no poço da tapagem.
Aguardamos o retorno da secretária de agricultura e/ou prefeitura de Jaguarari.

A assembleia geral extraordinária realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos de Jaguarari na última sexta-feira (09/11/2018), analisou a proposta do atual governo, no tocante as reivindicações deste sindicato. Em tal proposta, o governo decide pagar o piso do magistério (com o reajuste de 6,81) e o reajuste de 5% para os demais servidores, a partir do mês dezembro. Já o retroativo ficaria para ser definido em outro momento da negociação, ponto que decepcionou a categoria.

Ao ouvir a explanação da proposta na assembleia, os servidores avaliaram que houve um avanço na negociação, pois o atual governo garante cumprir piso do Magistério, direito que foi negado pelo governo anterior que apenas mencionou pagar apenas 2,95% de reajuste (o que não representava nem metade do percentual que a categoria tem direito). Para as demais categorias, assegura o 5% de reajuste. Apesar de se tratar do mesmo percentual oferecido pelo governo anterior (que não sustentou a proposta diante de assembleia repleta em 20/09/2018), esta proposta de 5% agora assegurada pelo governo atual, tem aspecto positivo, porque contemplará reajuste salarial para todos as categorias de servidores existente na folha de pagamento da PMJ, sem exceção.

Entretanto, o embaraço da proposta do governo, ficou na indefinição de como será pago o retroativo referente aos meses anteriores. Acreditávamos que o governo apresentaria uma forma de pagamento deste direito, através de um ofício que chegou às mãos do SINDSPUJ, ainda no dia 09/11/2018, mas para frustração de todos, em tal ofício apenas foi mencionado discussão desse retroativo de direito, em janeiro de 2019. Assim ficou difícil de solucionar o impasse, naquele momento!

Em virtude disso, os servidores avaliaram que da forma apresentada, a proposta do governo ainda não atende as reivindicações da greve, já que não define como será pago o retroativo. Mas, se o governo (em consenso com sindicato) mostrar como pagará o retroativo de sua proposta de reajuste, sem que haja prejuízo para os servidores, e a partir daí, um projeto de lei for elaborado de imediato neste sentido, um grande passo será dado para resolver o impasse, pois temos certeza de que a Câmara Municipal de Jaguarari, fará sua parte logo que um projeto de lei dessa natureza chegue naquela Casa de Leis.

Diante deste contexto de negociação salarial, passamos a acreditar que estamos próximo de um desfecho benéfico para todos, pois a proposta do governo de reajustar o salário dos servidores a partir de dezembro do ano em curso, sem dúvida, contemplará as reivindicações da greve, se no projeto de lei respectivo a ser criado conforme sugestão do SINDSPUJ, definir a forma do pagamento do retroativo dos 6,81% do Magistério e dos 5% para as demais categorias de servidores, sem exceção.

Estamos falando de uma definição que esteja em sintonia com a deliberação da última assembleia deste sindicato (ou de outra que se faça necessário), com parcelamento para ser pago a partir dos primeiros meses de 2019, já que o governo alega não poder pagar a retroatividade salarial em foco, no mês em que garantiu fazer a correção salarial.

Oportuno dizer, que o SINDSPUJ através de ofício, informou ao Governo, que em assembleia os servidores decidiram que não aceitam sua proposta salarial com o retroativo indefinido, mas neste mesmo ofício, solicitou o agendamento de uma reunião na terça-feira passada, para detalhar a contraproposta feita por esta mesma assembleia conforme relato acima.

A solicitação de agendamento foi atendida, ocorreu mais uma reunião de negociação salarial na tarde do dia 13/11/2018, inclusive com a presença do prefeito. Para detalhes, faremos assembleia geral extraordinária nesta sexta, tempo em que decisões importantíssimas serão tomadas pelos servidores em plenária, mediante análise de tudo que aconteceu na reunião referida, principalmente daquilo que se refere a proposta e contraproposta de parcelamento do retroativo em discussão.

Por fim, o SINDSPUJ parabeniza a todos os servidores que permanecem firme na greve! são quase dois meses de greve, e os servidores continuam na luta até que a efetivação dos direitos seja garantida na forma reivindicada. 
Neste movimento grevista, cada servidor tem sido um braço forte nesta luta! Parabéns a todos! Lutar sempre vale a pena! 

Firme na luta,

DIRETORIA EXECUTIVA

Na noite desta segunda-feira, 12, foram registrados vários chamados, pelo CICOM, da Rua da Missão, Olaria, informando sobre perturbação do sossego alheio em um evento religioso, num Candomblé. Guarnições do 6º Batalhão foram deslocadas três vezes na tentativa de acordo com o proprietário. Não obtendo êxito, por volta de 01 hora deste dia 13, foi solicitado o alvará de funcionamento. Como o proprietário não possuía, foi convidado a deslocar à delegacia junto com a vítima, momento em que participantes do evento começaram a proferir palavras ofensivas à Polícia Militar. Autor e vítima foram apresentados na Delegacia para tomadas de medidas cabíveis.

Sexto Batalhão de Polícia Militar
Aqui promovemos o bem!

Fonte – 6º BPM

Os transportes que prestaram serviços à educação do município de Jaguarari, na gestão de Fabrício D’Agostino, eram contratados através da empresa RADIAL. Os proprietários dos veículos deveriam ter recebido seus valores referentes ao mês de setembro cerca de 48h após a empresa RADIAL ter recebido o valor do contrato, pago pela prefeitura de Jaguarari, nos dias 30 e 31 de outubro, mas até a presente data nada receberam. Segundo alguns motoristas, a representante da empresa marcou e remarcou várias datas, sendo esta terça-feira (13) a última data prevista, mas nada de efetuar o pagamento.
Nossa equipe tentou, via WhatsApp, várias tentativas de contatos com a representante da RADIAL, mas não obtivemos nenhuma resposta. Agora cabe ao ex-prefeito, vereadores e Ministério Público apurar o que acontece que a RADIAL segue de posse do dinheiro destes munícipes e não se manifesta em definitivo quanto ao pagamento.
O espaço continua à disposição para os devidos esclarecimentos.

A prefeitura de Jaguarari, na administração do prefeito Everton Rocha (PSDB), que ainda não havia efetuado o pagamento dos funcionários efetivos/concursados da educação, referente ao mês de outubro, de competência do ex-prefeito Fabrício D’Agostino, efetuo nesta terça-feira (13) o depósito nas contas destes profissionais. Devido ao longo período de atraso, já circulava a informação de uma possível greve dentro da atual greve (que cobra reajuste salarial e pagamento do piso da educação), que já dura quase 50 (cinquenta) dias e mesmo após a reunião da atual administração e Sindicato das categorias, não há uma definição de quando será finalizada.
Em uma busca nos portais da transparência, o município recebeu de 01 a 31 de outubro de 2018 a quantia de R$ 6.577.081,85 (seis milhões, quinhentos e setenta e sete mil, oitenta e um reais e oitenta e cinco centavos).

A edição Nº 1.742 do Diário Oficial dos Municípios – DOEM, desta terça-feira, 13/11/2018, traz as nomeações assinadas pelo prefeito Everton Rocha, dentre elas a do ex-prefeito Edilberto Sá, que fica mantido no cargo de Diretor Clínico do Hospital Municipal de Jaguarari e Jackson Carvalho, Secretário de Administração de Pilar.
Confira todas as nomeações:



Desde que assumiu a pasta da secretaria de educação, cultura, esporte, turismo e lazer, na administração do prefeito Everton Rocha, Edinea Ferreira da Silva tem sido alvo de críticas de pais e do vereador Neném do Catuni, por demissões de professores contratados e funcionários comissionados lotados nas escolas municipais. De acordo com as reclamações direcionadas à secretária, o incômodo e preocupação se deu pelos prejuízos que a ruptura do trabalho destes profissionais, em especial da alfabetização, venha a acarretar no aprendizado das crianças. O retorno do atual prefeito veio com uma enxurrada de dispensa de servidores e como consequência as escolas municipais de todos os cantos do município entraram em colapso, onde o funcionamento está restrito aos professores efetivos e alguns contratados.  
O vereador Neném do Catuni, conversou com a redação do Jaguarari Online sobre a situação em que se encontra o funcionamento das escolas na região de Catuni. O edil disse está revoltado com a perseguição da atual secretária de educação, o que “demonstra que ela não está preocupada com a educação e sim em dá oportunidade àqueles que levantaram a bandeira do atual prefeito”, afirmou Neném. Ainda segundo o edil, os funcionários de direção escolar, bem como professores e demais funcionários contratados foram demitidos “só porque não levantaram a bandeira do prefeito Everton Rocha” e concluiu: “Esta gestão fracassou na primeira tentativa e voltou cometendo os mesmos erros, não aprendeu? É assim, com perseguição política que irá acertar?”
Tentamos obter o posicionamento da secretária Edinea, inclusive ela atendeu a nossa ligação e se comprometeu a retornar a ligação às 16h30, mas até o fechamento desta matéria não cumpriu com a palavra.
O espaço fica à disposição da SEMEC para eventuais ponderações sobre as mudanças praticadas.


O distrito de Pilar, interior de Jaguarari, realizará nos dias 23, 24 e 25 de novembro, A Copa da Integração de Futebol Society. Os Jogos acontecerão no Clube Pilar, Estádio Caraibão e Clube CVC. Serão mais de 1.000 (mil) atletas de toda a região (Senhor do Bonfim, Andorinha, Campo Formoso, Antônio Gonçalves, Uauá, Canudos, Curaçá, Juazeiro, Petrolina, Sento Sé, Pilão Arcado e Sobradinho) com jogadores das categorias sub-13, sub-15 e sub-17. O início das partidas está previsto para o dia 23/11 à noite, com jogos durante todo o dia de sábado (24) e encerrando com festa e as partidas finais no domingo (25). No sábado à noite, o Clube Pilar realizará a festa dos atletas.
A competição terá a presença dos observadores técnicos dos Clubes:
Esporte Clube Bahia;
Vitória da Bahia;
Vasco da Gama do Rio de Janeiro;
Bahia de Feira de Santana;
Empresa TSOCCER;
Empresa BRAZIL SPORT.

A organização é do Professor Flávio Mello.

Na manhã dessa segunda-feira 12/11, os moradores do povoado de Jacunã, zona rural de Jaguarari, se revoltaram a ver que os vidros da igreja local foram quebrados durante a madrugada de hoje. Essa já é segunda vez que a igreja católica sofre mais um ato de vandalismo.

As atitudes de vandalismo é constante em Jacunã aos finais de semanas, por conta da grande aglomeração de pessoas e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

Moradores vem clamando pela presença de policiais a anos aos sábados e domingos na localidade, onde os mesmos vem sofrendo com abusos sonoros e com barulho de motos, além de brigas e o consumo de drogas nos becos da comunidade.

Fonte: Jaguarari Notícias

Na manhã desta segunda-feira, 12/11/2018, um morador do distrito Gameleira, identificado como Danielton das Virgens, postou um vídeo nas redes sociais, onde relata o tratamento recebido na Unidade de Saúde da Família: dois muros no peito. O morador, foi ao PSF verificar se havia atendimento médico e aproveitou para observar se havia algum profissional da saúde atendendo ali. O morador também disse que estava com o celular em mãos, mas não estava filmando ou gravando nada, mas mesmo assim foi agredido com dois murros.
Em contato com a redação do Jaguarari Online, o vereador William Rogers informou que mais uma vez, não houve atendimento médico e também não havia na unidade de saúde: recepcionista, psicólogo, fisioterapeuta, técnica de enfermagem, enfermeira e tampouco nutricionista, apenas a vacinadora. O edil ainda destacou que a ambulância espera “juntar pacientes pra fazer viagem coletiva”.
Entramos em contato com a Coordenadora da Atenção Básica, a Sra. Liz Bezerra. Ela destacou que assumiu a função agora e que irá apurar o que aconteceu, quanto a agressão, pois não houve nenhuma contratação ou recontratação de nenhum funcionário para aquela US, mas contradiz a versão do vereador William Rogers, quanto a ausência de enfermeira, segundo ela, a enfermeira Mariana foi para o PSF. No tocante a falta da equipe de saúde e medicamentos, Liz pede paciência a população e disse que pretende colocar todos os PSF’s em pleno funcionamento no máximo em duas semanas, quanto a medicação está sendo realizado levantamento da demanda para licitar e finalizou dizendo que os pacientes acamados que precisam de suporte, que a enfermeira da unidade estará prestando assistência.
Voltamos a entrar em contato com o vereador William Rogers e este reafirmou que a última vez que a enfermeira Mariana esteve na unidade de saúde foi na última terça-feira, 6.

O vereador e presidente da Câmara de Jaguarari, Márcio José Gomes de Araújo, criticado por adotar posicionamento neutro, frente a briga política e jurídica travada entre Everton Rocha e Fabrício D’Agostino, prefeito e vice, respectivamente, se pronunciou oficialmente na manhã desta segunda-feira, 12. Márcio Gomes, um dos vereadores mais aguerridos, enfrentou e colocou-se em posição de risco ao pautar todas as denúncias contra o prefeito Everton Rocha, acusado de cometimento de crimes político-administrativos.
Ao tornar pública a sua atuação, de agora em diante, e por entender que, mesmo não tomando partido (lado) diante dos conflitos de interesses do prefeito e vice, Márcio afirma que nunca foi, não é e nem será um vereador omisso e caso venha a ocorrer qualquer irregularidade que prejudique os interesses do município, não se furtará de denunciar e tornar de conhecimento da Justiça, da Câmara e da comunidade jaguarariense.
Por todas as críticas disparadas contra a sua pessoa, Márcio se diz decepcionado, porque é seu direito enquanto Chefe do Legislativo, de não brigar em defesa de nenhum dos membros do executivo. Gomes disse que seu compromisso é lutar pelo povo de Jaguarari.
Confira a íntegra da manifestação do vereador Márcio Gomes:

Bom dia a todos!


Todos sabemos que Jaguarari vive dias de insegurança político-administrativa. Mas tais questões estão jurisdicionadas, a Justiça está ciente de tudo e só depende dela para restaurar a harmonia e governabilidade em nosso Município. Resta, a nós, Vereadores, o papel que sempre coube, fiscalizar e observar os acontecimentos. Querem fazer politicagem com os últimos fatos, mas lhes digo que nessa “onda do aproveitamento e usurpação” não entrarei. Somos mais fortes do que isso. E Deus proverá e a população enxergará quem está querendo se locupletar e se “aproveitar” desse momento instável.
Seguiremos firmes e fortes em nosso propósito de vereador!
A Justiça tarda, mas não falha! Não deixarei que atos pequenos e sem noção sujem a minha imagem.
Não sou NEUTRO, até porque já dei demonstrações da minha coragem e hombridade, e não fico me escondendo e fazendo jogo duplo, precisamos seguir respeitando a independência entre os poderes e aguardando um desfecho jurídico rápido.
Espero que todos tenham consciência. Jaguarari clama por mudanças! Quem não ouvir o recado das ruas está fadado ao fracasso.
Abraços à todos,

Márcio José Gomes de Araújo
Vereador

Por volta das 20hs deste domingo (11/10) foi registrado na BR 407, altura do distrito de Carrapichel, zona rural de Senhor do Bonfim, um acidente envolvendo uma motocicleta Honda XRE, cor vermelha e um veiculo de passeio não identificado, deixando um casal ferido.

De acordo com informações a motocicleta foi atingida na traseira pelo veiculo, o condutor se evadiu do local, populares acionaram o SAMU que socorreu as vítimas para UPA24h, aonde obtiveram escoriações pelo corpo e suspeita de fraturas.

A PRF foi comunicada estando no local para registro de ocorrência. Não há maiores informações sobre o estado de saúde das vítimas, nem do condutor do veículo. 

Portal Jaguarari

Resultado de imagem para seca
Imagem ilustrativa
Neste domingo, 11, o vereador Budé, em nome dos moradores de Lagoinha e Varzinha, entrou em contato com a nossa redação, para cobrar da secretaria de agricultura da prefeitura de Jaguarari, para o poço artesiano que fornece água para o consumo humano das comunidades citadas seja consertado. O vereador Budé, informou que os moradores não sabem mais o que fazer para conseguir água para beber e para o uso doméstico e que muitos compraram água, mas não tem mais condições financeiras e reiterou o pedido das comunidades para que a secretaria e a prefeitura tomem providências urgentes na solução do caso.
Devido ser final de semana e não termos o número de contato da atual secretária de agricultura, não tivemos como manter contato, mas aguardamos o retorno com informações acerca da solução do pedido dos moradores.

A Câmara de Jaguarari, composta de 13 (treze) vereadores, que representam 8 (oito) partidos: PSDB (Reges do Joel, Márcio Gomes e William Rogers), PDT (Franco Melo, Budé e Louri da Barrinha), PV (Marcos Quito e Paulinho Morgado), PP (Josimar Zuza), PSD (Neném do Catuni), SD (Zé Galego), MDB (Dourival Borges) e PT (Val). 
Após alguns meses de gestão, a maioria dos vereadores da base do prefeito Everton romperam politicamente e junto com a oposição passaram a compor uma bancada com 12 (doze) contra 01 (01 – vereador Louri da Barrinha), união que durou durante todo o processo da primeira cassação. Com o desenrolar da segunda e terceira cassações, os vereadores Dourival Borges e Reges do Joel, que na tribuna fizeram vários posicionamentos fortes contra o governo “uma cidade para todos”, voltaram seu apoio ao ex-adversário.
Há poucos dias da primeira decisão liminar favorável ao ex-prefeito Everton Rocha, os vereadores Louri da Barrinha e Reges do Joel declaram apoio ao prefeito Fabrício D’Agostino, mas com as batalhas judiciais no TJBA e as recentes decisões liminares do presidente do judiciário baiano, Everton Rocha retornou ao cargo, em 01/11/2018 e com o seu retorno, Louri e Reges se juntaram com Dourival Borges e voltaram a apoiar o Rocha.
E os demais vereadores, como se posicionarão a partir daqui?
Nossa reportagem conversou com os 10 (dez) vereadores, neste domingo (11/11/2018) e obteve as seguintes respostas:
O vereador Budé disse que não há possibilidade de apoiar politicamente o atual prefeito, que segundo ele, retirou a ambulância do distrito de Juacema e demitiu todas as pessoas ligadas a ele.
O vereador Josimar Zuza disse que não tem pretensões de apoiar o atual prefeito e que segue a vontade de seu povo.
O vereador Neném do Catuni disse que repudia a atitude da atual administração, que demitiu professores contratados quase no fim do ano letivo e que esta atitude prejudica as crianças, e que não apoiará de forma alguma o governo de Everton Rocha.
O vereador Val afirmou também que seguirá na oposição.
O vereador Marcos Quito disse que não há a menor possibilidade apoiar politicamente o atual gestor.
O vereador Zé Galego disse ter saído do grupo do prefeito Everton Rocha e sua saída foi definitiva.
O vereador William Rogers disse “Minha postura ao longo desses, a começar pelo ano de 2017 já responde por si só”. Ou seja, também não apoiará politicamente a administração atual.
O vereador Franco Melo segue o mesmo posicionamento dos seus colegas acima mencionados.
O vereador Paulinho Morgado disse que não apoiará politicamente a administração do prefeito Everton Rocha e que seguirá fazendo seu papel de legislador.
O vereador e presidente da Câmara, Márcio Gomes, disse que não abrirá mão de fiscalizar os atos do executivo, mas se manterá politicamente neutro.

MARI themes

Tecnologia do Blogger.