Servidores Municipais de Jaguarari aderem paralisação de 48h em defesa de reajuste salarial!

Indignados por não ter reivindicações atendidas pelo gestor municipal, servidores municipais de Jaguarari paralisaram suas atividades por 48h, nos dias 08 e 09 de agosto de 2018, participaram em massa de assembleia geral e fizeram mais uma Manifestação Pública em defesa de reajuste salarial urgente!

O SINDSPUJ reivindica reajuste de 5% com retroativo a fevereiro, para todos os servidores, e para o professor, 6,81% (com o retroativo de direito), pois este foi o índice de reajuste que o governo federal concedeu ao Piso Nacional do Magistério em todo o país.

Entretanto, o governo atual de Jaguarari vem alegando não ter recursos para atender a reivindicação dos servidores, quando mantém uma folha transbordante de contratação, contrariando até as orientações do Ministério Público que aponta para realização de concurso público.

É preciso que o gestor entenda que a revisão salarial anual do servidor público é um direito constitucional! Cabe ao governante respeitar a lei e cumprir, conforme é dito repetidas vezes pelo país a fora: “lei não se discute, se cumpre!” Isso também vale para o Piso do Magistério que é lei federal: governo que valoriza a educação, não o discute, cumpre a lei!

Diante de tanto desrespeito ao direito do trabalhador (quem realmente dá o sangue pelo crescimento do município), esta paralisação é uma forma de alertar o governo, de que ninguém mais aceita a opressão que atualmente e há décadas nos assola. Chega de humilhação! Queremos nossos direitos!

Cabe ressaltar que nesta última assembleia geral de 08/08/2018, por unanimidade foi decidido seguir lutando pelo reajuste de 5% para todos os servidores, pelo piso de 6,81% para os professores e pelo retroativo devido para ambos.

A proposta do governo de 2,95% (dois vírgula noventa e cinco por cento) com retroativo para professores e de 5% sem retroativo para as demais categorias, não foi aceita pela plenária.

Perante o impasse na negociação salarial, essa mesma plenária que se viu repleta de servidores, mantém a luta pela efetivação dos direitos conforme lei, não abre mão destes, mas sinaliza disposição para negociar o retroativo de direito, de modo que possa definir novas formas de parcelamento do valor, para assim resolver o impasse.

Deste modo, pedimos a todos os servidores que permaneçam atentos, pois caso o descumprimento de lei perdure, acionaremos mais paralisações, ao tempo que cumpriremos outras deliberações de assembleias, com este mesmo intuito de se fazer cumprir com urgência, a lei de data base de reajuste salarial, a lei do Piso do Magistério, a Lei Orgânica do nosso município e a Constituição Federal.

Na defesa dos direitos, aberta ao diálogo,

DIRETORIA EXECUTIVA