Justiça rejeita ação de improbidade administrativa contra ex-prefeito de Jaguarari na nomeação de secretário e familiares

Em 17 de outubro de 2017, o Ministério Público da Bahia (MP-BA), através do Promotor Jair Antônio Silva de Lima, havia pedido à Justiça, de forma liminar, a suspensão da nomeação e o afastamento, à época, do secretário de obras, João Melo e de seus sete parentes, todos servidores da prefeitura de Jaguarari, sob a alegação de nepotismo. O pedido foi realizado em ação civil pública e acusava o ex-prefeito Everton Rocha de cometer crime de improbidade administrativa.
Mas em decisão proferida na última segunda-feira, 23 de julho de 2018, a Juíza da Comarca de Jaguarari, Maria Luíza Nogueira Cavalcanti Muritiba, rejeitou a ação de improbidade administrativa, arquivando a ação. A Magistrada alegou está convencida de que não houve a prática, fruto da acusação do MP e mesmo, segundo sua decisão, que houvesse acontecido, a ação teria perdido o seu objeto. Atualmente já que os acusados não mais ocupam os cargos na administração municipal, nas condições ora denunciadas.
A decisão foi comemorada de maneira discreta por seguidores do ex-prefeito.