Jaguarari: Município e SINDSPUJ não chegam a acordo e piso dos professores e reajuste dos demais funcionários segue indefinido

Informe urgente!

Informamos a todos os servidores públicos, que a Diretoria do SINDSPUJ esteve mais uma vez na Prefeitura Municipal de Jaguarari para reunião de negociação salarial, a qual ocorreu na noite do dia 26/07/2018, dentro do tempo deliberado na última assembleia geral deste sindicato.

Pelo fato de já estarmos no fim do mês de julho, sem que o Governo atenda nossas reivindicações salariais, chegamos a imaginar que nessa última reunião tudo se resolveria, até mesmo porque a nossa luta é legítima.

Cabe ressaltar, que em relação a proposta salarial do Governo para todas as categorias (com exceção do professor), houve uma mudança na qual o Prefeito anunciou: 5% (cinco por cento), a partir da reunião referida, mas sem retroativo. Esta mudança difere da proposta flexibilizada do SINDSPUJ, que é 5% (cinco por cento) com a retroativo a fevereiro do ano em curso, o mês da data base!

Para os professores, o Governo insiste nos 2,95% (dois vírgula noventa e cinco por cento) com o retroativo a fevereiro, mas não se digna a cumprir a Portaria Ministerial que reajustou o Piso Nacional do Magistério para 6,81% (seis vírgula oitenta e um por cento) desde janeiro de 2018. Repita-se: a categoria não abre mão do piso e do retroativo que lhe é de direito!

Em âmbito geral, em qualquer tempo, este sindicato jamais fechará uma negociação acatando uma proposta salarial que não tenha sido deliberada em assembleia geral.

O Governo alega através de sua assessoria contábil, que a Prefeitura não tem condição financeira para atender as reivindicações em relato. Para o SINDSPUJ fica difícil entender, por que é que se argumenta não haver dinheiro para reajustar a contento o salário dos servidores, e ao mesmo tempo se mantém centenas de contratos temporários de pessoal nessa mesma prefeitura? Além do mais, todos os servidores e a população sabem quais são as advertências do Ministério Público para prefeitura que emprega pessoas sem fazer concurso público. 

Que sindicato aceitaria abrir mão dos direitos dos servidores, fechando os olhos para o absurdo das contratações que incha a folha de pagamento da maioria das prefeituras que nem sequer sabem aonde alocá-los? É triste, mas é a realidade do Brasil, e de Jaguarari ao longo de décadas.

Por tudo isso, a Diretoria do SINDSPUJ espera que até o último dia do mês em curso, o Governo nos comunique formalmente que atenderá as reivindicações deste sindicato com urgência, pois os direitos gritam por efetivação! 

Caso as coisas aconteçam a descontento, as deliberações da última assembleia geral serão postas em prática na íntegra, até que se cumpram as leis.

Na certeza de que jamais desistirá da luta,

Diretoria Executiva do SINDSPUJ