Dia de caos: Hospital de Jaguarari e UPA de Pilar iniciam o feriado sem plantonistas

Um fato lamentável, que parecia está controlado, vem à tona novamente e põe em risco vidas, tanto no Hospital Municipal como na UPA de Pilar. Este dia 2 de julho começou sem médicos plantonistas nestas duas unidades de saúde, um risco gravíssimo que pode vim a ser o fator decisivo na manutenção ou não da vida de pessoas que venham a necessitar de atendimento de urgência. O mais intrigante disso tudo, é que, mesmo com várias vezes, neste ano de 2018, o diretor clínico do Hospital Municipal de Jaguarari, amigo pessoal do prefeito Fabrício D’Agostino, não apresentou a escala médica para o dia 2, a diretora administrativa e secretária de saúde, nada fizeram para sanar este ato irresponsável, imprudente e criminoso!
O Conselho Municipal de Saúde, que há meses vem mantendo a “política da boa vizinhança”, precisa agir, precisa oficializar um pedido de explicações ao gestor municipal e secretaria de saúde, presencialmente com cópia ao Ministério Público. Por mais que haja alguma dificuldade em contratar profissionais para cobrir os plantões, não há justificativa que console as famílias que porventura venham a perder seu ente por falta de atendimento médico em uma destas duas casas de saúde.
Atuem senhores vereadores! Atue senhor prefeito! Ponham-se no lugar de uma mãe ou um pai que leve seu filho desfalecido a um destes locais de saúde e lá vejam seu familiar morrer por falta de assistência! Promoveram a cassação de um gestor justamente por este não está administrando adequadamente o município, e agora, vão arregar? Vão prevaricar diante da iminência deste crime debaixo dos narizes de vossas excelências e bem na porta do MP? Vão esperar morrer quantas pessoas para tomarem providências?
Paciente de Pilar, que desde o início da manhã repassaram informações à redação do Jaguarari Online, confirmaram que na UPA de Pilar, a médica só chegou por volta das 14h e no Hospital de Jaguarari, até às 15h55, horário que fechamos esta matéria, o médico ainda não havia chegado.
De nada adianta o município trazer uma série de justificativas sobre a falta de médico, hoje não, pois se tivesse uma diretora administrativa e um diretor com capacidade de resolver, teriam repassado (se é que não o fizeram) a programação a secretaria de saúde e com certeza o problema não teria acontecido.
O Presidente da Câmara, Sr. Márcio Gomes, ao tomar conhecimento da triste e lamentável situação, demonstrou total indignação e partiu para buscar solução e explicações, tanto do prefeito como da secretária de saúde.
A secretária Thialla carvalho, disse que só tomou conhecimento da situação por volta das 11h da manhã e desde então manteve contato com o diretor clínico, Dr. André.
Não conseguimos falar com o prefeito Fabrício, com o diretor clínico, Dr. André e tampouco com a diretora administrativa, Cristina.