Sem apoio do poder público, alunos de capoeira treinam no “relento”


Um caso corriqueiro, vergonhoso e lamentável ocorre debaixo do nariz das autoridades de Jaguarari. Um projeto social, que tem o objetivo de difundir a capoeira entre crianças e adolescentes jaguarariense, e também livrá-los das drogas e prostituição, realizado pela mestre Amazonas há mais de uma década, não conta com apoio do município para as atividades, se quer há uma remuneração para professores e estagiários, situação totalmente oposto com outras cidades que valorizam profissionais que se dedicam a causas tão nobres.
As aulas acontecem ao ar livre, com ou sem chuva, tudo isso porque a prefeitura não libera a quadra poliesportiva para as aulas (mas para festinhas de amiguinhos sempre acontece a liberação) práticas.
Conversamos com a mestre Amazonas e a questionamos por que as crianças não estão em um lugar protegido do frio e chuva; ela nos disse que já tentou, na atual gestão, a liberação da quadra da escola João de Matos, através das secretarias de administração e educação, assim também como via diretoria de cultura, esporte e lazer e até mesmo já fez pedido de ajuda ao presidente da Câmara, mas decorrido este tempo, ninguém tomou providência alguma.
É vergonhoso saber que em um município que possui um orçamento elevado, não seja feita qualquer remuneração e apoio a esta modalidade esportiva, se bem que, há meses o esporte de Jaguarari foi internado na UTI e MORREU e ninguém, ninguém mesmo faz nada além de patrocinar festas e mais festas. Esperamos que todos: Câmara, Prefeitura, Secretarias e Diretorias cumpram com seu real papel, que valorizem a cultura, o esporte, o lazer e principalmente: INVISTAM NO APOIO À JUVENTUDE.