3º e último dia do “Arraiá do Arrasta Pé” bateu os próprios recordes de: sucesso, público e desorganização

O São João de Jaguarari, “Arraiá do Arrasta Pé” – 2018, alvo de críticas e elogios, conseguiu superar seus próprios recordes. O público, que aumentou consideravelmente do primeiro para o segundo dia, compareceu maciçamente no domingo (24/06); a expectativa dos fãs de grandes atrações, que esperavam um fracasso no palco por não ter bandas ao nível de anos anteriores, foi por água abaixo; pois apesar de tudo, os artistas da terra e regionais deram um show, agradaram geral e arrancaram elogios dos presentes.
O que chamou a atenção, negativamente, foi a organização. Um evento com a dimensão de um festejo de São João, não pode ter a programação a disposição do público sem uma coordenação ativa, sem pessoas responsáveis e com poder de solução. O que se viu, além das belas apresentações, foi uma grade não cumprida, um som meia boca e a ausência de artista que constava na grade, mas não apareceu. E o que dizer de shows que a população pagou por 1h30 de duração e só recebeu 40 minutos? Pode isso produção? Mas tudo isso passa por uma falta de planejamento, pela deficiência de equipe “numerosa”, porém ausente.
Desejamos e torcemos, que este ano seja feito de laboratório para a atual gestão, para que nos próximos anos não caíam nos mesmos erros, e que o dinheiro público pago as atrações, retornem na exata duração contratada.