05 de abril de 2018: Servidores aderem assembleia, lotam a plenária e deliberam paralisação pra efetivar direitos com urgência!

Servidores de diversas categorias marcam presença na última Assembleia Geral realizada pelo SINDSPUJ, em 05/04/2018. Na ocasião, diante de uma plenária lotada, Diretores Sindicais explanam sobre o descumprimento da lei de data base de reajuste salarial que desde 2017 vem ocorrendo neste município, apesar da luta deste sindicato com estes servidores, tanto naquele ano como no ano corrente. 

Oportuno lembrar, que no ano passado foram 5 assembleias, 6 paralisações, 4 manifestações públicas, 8 publicações relacionadas a estas ações, reunião com representantes do Legislativo, 3 reuniões na PMJ, uso da Tribuna da Câmara, atuação forte do sindicato (com os servidores), lutando para efetivar revisão salarial de 37 categorias e gratificação de 12%, mas nem assim o governo referido atendeu as reivindicações e de forma repudiável descumpriu a lei de data base. Como se achasse que isso foi pouco, voltou a descumprir esta lei em 2018, deixando mais uma vez trinta e sete categorias sem a revisão salarial devida, e mais os professores sem o reajuste do ano vigente. O governo ignorou as ações do SINDSPUJ que tem lutado para resolver este impasse que deveria haver sido resolvido até o último dia de fevereiro, o mês da data base. O governo nem sequer respondeu os ofícios protocolados desde 08/02/2018. Repudiamos!

E dando prioridade ao reajuste salarial pelo qual se luta, pauta principal da assembleia em relato, Diretores Sindicais fazem um breve histórico da assembleia geral realizada em fevereiro, reiterando e defendendo o que há de mais urgente na pauta de reivindicação de 2018: 

a) 15% (quinze por cento) de reajuste salarial com retroativo a fevereiro de tal ano, para todas as categorias de servidores, exceto para o professor que tem piso nacional definido em portaria ministerial recente;

b) 12% (doze por cento) de gratificação a ser instituída por lei para servidores que ao longo de sua carreira nunca receberam salário base maior que o salário mínimo, apesar da luta incansável por salário base mais digno;

c) 6,81% (seis vírgula oitenta e um por cento) de reajuste que é o Piso Salarial Profissional Nacional do professor, retroagindo a fevereiro do ano em curso. 

Indignados com a postura do Governo que não atende as reivindicações legítimas dos servidores, o pleno da assembleia delibera paralisações escalonadas para os próximos dias, mas antes de realizá-las, opina pelo encaminhamento de ofício para o prefeito recentemente empossado, onde o SINDSPUJ reitera solicitação de agendamento de reunião para apresentação e defesa das propostas salariais em tela, num prazo de oito dias, a contar da data da realização de tal assembleia. O ofício foi protocolado, mas até o momento não obtivemos resposta.

Na hipótese do novo prefeito não sinalizar o agendamento solicitado, atitude que não é esperada pelos servidores e nem pelo SINDSPUJ, seremos condicionados a executar o cronograma de paralisações deliberado conforme fora dito, mas estamos acreditando que o prefeito em foco ou uma Comissão de Negociação por ele designada, tenha interesse de sentar com a Diretoria deste sindicato ainda nessa semana. É a expectativa de todos! 

Aguardaremos o tempo deliberado, enfatizando que o diálogo é a prioridade deste sindicato, em qualquer contexto.

Firme e incansável na defesa dos direitos!

DIRETORIA EXECUTIVA