DETERMINADA PRISÃO DE EX-PREFEITO DE JAGUARARI. CONVERSAMOS COM O EX-PREFEITO

A Justiça determinou, no último dia 1º, a prisão do ex-prefeito de Jaguarari, Edilberto Nunes de Sá, condenado a quatro anos e dois meses de reclusão por ter desviado R$100 mil do município, quando era prefeito no ano de 1996. A decisão estabelece ainda que Edilberto tenha suspensos os seus direitos políticos por um período de cinco anos, bem como tenha que ressarcir o erário no valor desviado. O MP denunciou Edilberto pela primeira vez em 2000. Condenado, o ex-prefeito recorreu na primeira instância e perdeu. Interpôs recurso especial juto ao Superior Tribunal de Justiça e recurso extraordinário perante o Supremo Tribunal Federal, sofrendo novas derrotas. A decisão é definitiva e não cabe mais recursos.
Entramos em contato com o ex-prefeito, Dr. Edilberto Sá, que afirmou tratar-se de um erro simples da contabilidade de seu governo, no final da gestão e que ao ser agravada por seu sucessor, não mereça ser encarada como desvio, afinal de contas, segundo ele, o recurso foi devidamente usado no cumprimento dos serviços que beneficiaram a população e que se tratou apenas de um erro na informação da aplicação. Edilberto ainda disse que, em 10 anos de governo, nunca usou os recursos do município em benefício próprio, prova é que sempre teve o mesmo padrão de vida antes da política, durante e depois. Que jamais sujaria a sua honra, seu nome e de sua família por qualquer que seja o valor e que nunca deixou de trabalhar, como todos podem comprovar, que mesmo aos 71 anos segue uma rotina pesada de trabalho para sustentar sua família e garantir os estudos de seus filhos. Dr. Edilberto frisou à nossa equipe, que em toda a sua vida como prefeito (10 anos), buscou trabalhar para tornar a vida do povo de Jaguarari melhor, e citou algumas áreas em que desenvolveu, como por exemplo a construção de barragens e escolas em várias localidades, que até hoje beneficiam o homem do campo; investiu na saúde e deu uma guinada importantes na infraestrutura do município, mesmo sem programas específicos levou energia elétrica a muitas comunidades. Edilberto diz sentir-se orgulhoso do dever cumprido, como gestor, médico e amigo, pois mesmo antes de vida pública, fez de tudo para ajudar a todos, principalmente os mais pobres e que todo mundo em Jaguarari é sabedor do seu caráter e honestidade.
Quanto a decisão judicial, Dr. Edilberto disse estar tranquilo e que aguarda a decisão de um recurso, mas que, independentemente do resultado, estar a disposição da justiça, a qual, na eventualidade de rejeitar seus recursos, que ainda cabem, apelará para que lhe dê condições de continuar trabalhando para seu auto sustento, de sua família e recolher-se à noite aos seus aposentos. Foram nas administrações de Dr. Edilberto que Jaguarari, tanto na sede como no interior, conquistou a estrutura que hoje existe.