COM POSTO DE SAÚDE FECHADO, MORADORA DE PILAR TEVE QUE PAGAR POR ATENDIMENTO MÉDICO DE URGÊNCIA


Na tarde desta sexta-feira (16) uma moradora de Pilar foi mordida por uma cadela, o que ocasionou cortes profundos em seu braço. Desesperada, com muita dor e sangramento ela foi às pressas até o Posto de Saúde que deveria funcionar 24h, mas como era finalzinho da tarde, estava fechado e os demais PSF’s também. Sem alternativa, sem dinheiro, com muitas dores e um alto risco de infecção, ela foi levada por um filho até a Policlínica de Pilar – que é particular, e pagou pelos procedimentos de saúde. Esta não é a primeira reclamação de moradores de Pilar que ficam sem atendimentos de urgência por conta da tal “janela” que existe entre o funcionamento dos PSF’s e a “UPA”. O Conselho Municipal de Saúde, órgão de controle social – representante da sociedade, aprovou as contas da Secretaria de Saúde, dos dois primeiros quadrimestres, mas será se os recursos foram aplicados, de fato, na melhoria da saúde dos munícipes? A sociedade precisa ficar mais atenta aos detalhes e cobrar dos representantes políticos e justiça, postura enérgica sobre estes casos de desrespeito com a saúde pública.
O Distrito de Pilar fica a mais de 70 km da sede, possui uma concentração populacional semelhante à sede do município e não pode ficar à mercê de horários específicos de atendimento à saúde.
Tentamos o contato, na tarde de ontem, com o secretário distrital, mas mesmo após tentativas, não fomos atendidos.