APÓS DENÚNCIAS, POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL FAZ BLITZ E IDENTIFICA FALHAS NOS ÔNIBUS: PRAZO SERÁ ESTABELECIDO PARA SEMEC SANÁ-LOS

A Polícia Rodoviária Federal, após várias denúncias feitas por alunos que utilizam o transporte escolar que parte de Santa Rosa x Pilar x Jaguarari, à noite, fez uma blitz nos ônibus “caminhos da escola”, os “amarelinhos” e detectou uma série de irregularidades. A secretária de educação, cultura, esporte e lazer, Sra. Edineia Ferreira e o chefe dos transportes, Ronaldo, acompanharam as vistorias e ouviram as observações feitas pela PRF e também as cobranças dos estudantes.
O subcomandante Montenegro relatou que devido os estudantes terem saído dos ônibus não foi possível detectar superlotação nos ônibus, mas apontou falhas, como problemas nos tacógrafos, pneus (em um dos ônibus), cinto de segurança e saída de segurança quebrados, poltronas com pontas de ferros expostos, vidro de uma das janelas ausente, dentre outros. O policial destacou que irá emitir um relatório oficial com todos os problemas que a SEMEC/PMJ precisará corrigir, assim como o prazo a ser cumprido. Por conta da queda de energia, os equipamentos tiveram dificuldades de conexão com a internet e inviabilizaram a consulta de possíveis atrasos de pagamentos de IPVA, LICENCIAMENTO e DPVAT, mas todas as placas foram anotadas e se houver algum atraso, multas poderão ser aplicadas.
Os policiais ouviram todas as queixas dos estudantes, que pontuaram os constantes problemas enfrentados, os PRF’s parabenizaram os estudantes pelas cobrança e preocupação com a segurança, mas também recomendaram o uso adequado dos cintos de segurança que funcionam.
A secretária de educação justificou que a culpa dos ônibus estarem lotados seria da direção do CETEP que informou uma quantidade de alunos inferior a real situação. A vice-diretora Regina Célia, do CETEP, esteve no local e disse que desconhece tal solicitação, mas que tomará as providências para que seja enviada a relação com a quantidade real de estudantes que utilizam tais veículos.
Questionada acerca da precariedade dos transportes, Edineia culpou o atraso da aprovação da LOA 2018 e reafirmou que a colocação de outro ônibus para reduzir a superlotação será providenciada assim que a lista de alunos seja enviada pelo CETEP. Convidada por nossa reportagem à adentrar em um dos ônibus para ver a realidade que os estudantes enfrentam, Edineia preferiu não aceitar o convite.
Todo o movimento aconteceu às margens da BR 407 bem em frente a residência do prefeito Everton Rocha, que não estava em casa.