JAGUARARI: “NÃO QUERO PERDER MINHA MÃE”, DESABAFA FILHA DE PACIENTE QUE FAZ HEMODIÁLISE SEM ATENDIMENTO PORQUE TRANSPORTE NÃO TINHA COMBUSTÍVEL

Desde o segundo semestre de 2017, ou seja, após os festejos de São João e São Pedro, com uma despesa superior a 3,1 milhões de reais em festas com atrações nacionais, o prefeito municipal não tem conseguido encontrar o caminho da eficiência administrativa, e o caso se agrava sempre que os mais afetados são pessoas humildes e com a saúde debilitada, é o caso dos pacientes que fazem hemodiálise (Hemodiálise é um procedimento através do qual uma máquina limpa e filtra o sangue, ou seja, faz parte do trabalho que o rim doente não pode fazer. O procedimento libera o corpo dos resíduos prejudiciais à saúde, como o excesso de sal e de líquidos. Também controla a pressão arterial e ajuda o corpo a manter o equilíbrio de substâncias como sódio, potássio, uréia e creatinina). Mesmo sendo um fato que se tornou corriqueiro e amplamente denunciado nas redes sociais: a falta de combustível nos transportes que conduzem estes pacientes aos centros responsáveis pelo processo tem causado muitos transtornos e colocado a saúde destes pacientes em risco. Confira um dos desabafos que a redação do blog Jaguarari Online recebeu na tarde deste sábado (20):
Carlos, pelo amor de Deus, leva este nosso sofrimento ao conhecimento público, não quero perder minha mãe. É o único tesouro que eu tenho neste mundo e todos os dias que preciso do transporte é uma humilhação cada vez maior! Não sabemos mais o que fazer. Já tentamos várias vezes ligar no jornal da Liderança, mas não deixam eu falar no ar. Se minha mãe morrer, o que vai ser de mim? Será se o Everton não tem coração, não faz nada por Jaguarari? Nem telefone ele atende mais, porque sabe que vou cobrar um carro para levar minha mãe. Por favor, nos ajude, mas não diz meu nome para não ser pior pra minha mãe, viu?”, desabafou uma senhora que disse já ter ficado várias vezes no meio do caminho ou sem ir com sua mãe porque o transporte não tinha combustível. Destacamos o desabafo anterior, mas são muitos que recebemos e nos colocamos no lugar destas pessoas e nos perguntamos:
1. Será se o prefeito de Jaguarari sabe disso?
2. Será se o secretário de saúde sabe disso?
3. Será se o secretário de administração sabe disso?
4. Será se a Câmara de vereadores sabe disso?
5. Será se o Ministério Público sabe disso?
6. Será se a Juíza sabe disso?
7. Será se fosse os pais de um dos secretários, vereadores, promotor, juíza, prefeito, primeira dama; isso aconteceria?


PENSE E COLOQUE-SE NO LUGAR DO SEU PRÓXIMO.