Lixo hospitalar descartado de forma clandestina expõe meio ambiente a contaminação, município não possui PGRSS, homologação da SANAR não foi publicado no DOEM, ASCOM, VIEP e VISA se contradizem em matéria postada por coordenador de eventos

O lixo hospitalar produzido no município de Jaguarari, composto por medicamentos, restos humanos, seringas contaminadas, material para higienização de ferimentos, antibióticos, sangue contaminado e outros materiais potencialmente infectantes vinha sendo descartado de forma clandestina, o que acarreta prejuízos para o meio ambiente e um fator exponencial de risco à saúde da população residente próxima à área de destinação final dos resíduos, pois sem o prévio tratamento, em contato com o solo poderá contaminar o solo, os lençóis freáticos, as águas superficiais, as plantações de alimentos e, ainda, o próprio ar.
A Lei nº 12.305/2010 prevê, aos geradores de resíduos de saúde a responsabilidade pela destinação final, ambientalmente adequada desses resíduos e cria a obrigatoriedade da elaboração de um plano de gerenciamento específico, que deve ser seguido rigorosamente, pois o simples encaminhamento de “lixo” hospitalar sem qualquer cuidado pode gerar consequências imprevisíveis, com a disseminação de graves doenças. Conforme vimos, Jaguarari NÃO POSSUI o PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, mesmo sendo obrigatório há muito tempo.
Durante a manhã, tarde e início de noite desta terça-feira (31.10), entramos contato com a VIEP – Vigilância Epidemiológica, esta informou que o destino do lixo hospitalar segue sendo INCINERADO (a céu aberto), que a empresa (SANAR) foi contratada e que INICIARÁ a coleta dos resíduos em NOVEMBRO e também o PGRSS ficará a cargo da contratada. Já um dos responsáveis pela VISA – Vigilância Sanitária tentou contestar a denúncia do Jaguarari Online, mas recuou diante das provas apresentadas afirmando que atualmente o método empregado é o mesmo utilizado há mais de uma década. Disse ainda que a empresa SANAR “fora contratada para tal função. E INICIA a coleta deste material A PARTIR de NOVEMBRO, porém pesquisamos no DOEM – Diário Oficial Eletrônico do Município e não encontramos a HOMOLOGAÇÃO do contrato com a SANAR, apenas que o Pregão Presencial nº 054/2017 aconteceria em 02/10/2017, mas sem divulgação do resultado.
Em uma publicação realizada pelo coordenador de eventos da prefeitura, Gleyson Carvalho, assinada pela ASCOM – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Jaguarari, na fanpage “jaguararinews”, a ASCOM, a VISA e a VIEP contradizem-se. A ASCOM afirma: “A empresa SANAR licitada para prestação de serviços de coleta e destinação de lixo hospitalar iniciou essa semana suas atividades no município de Jaguarari.” Confira abaixo os prints das falas da ASCOMVISA e VIEP.
Quem expõe a verdade, sem "maquiagem", detém as imagens reais e verdadeiras não precisa de muito pra provar a realidade.
Vejam as imagens, tirem suas conclusões e busquem proteger o meio ambiente, a fauna, a flora, a vida.
Jaguarari Online