Gestor que usar Precatório fora da Educação vai ser preso, alerta procurador

O procurador do Ministério Público de Contas em Alagoas (MPC-AL), Gustavo Santos voltou a falar da polêmica verba conquistada por dezenas de municípios alagoanos, através de precatórios do antigo Fundef (Fundo da Educação, hoje Fundeb).
Em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas, edição deste fim de semana, ele alertou que o prefeito que usar o recurso fora da área educação incorrerá em crime e pode até ser preso pela Polícia Federal.
O membro do MPC lembrou que o TCE-AL deu uma decisão permitindo o uso em outras áreas, mas que ela foi nula. “O prefeito que seguir essa decisão vai sair preso pela Polícia Federal, vai responder por improbidade administrativa”, disse ele ao periódico alagoano.

Por Lucas Malta / Da Redação