sponsor

sponsor

Destaques

Imagens de tema por kelvinjay. Tecnologia do Blogger.

Noticias em destaque

Multimídias

Política

Região

Esportes

GALERIA DE FOTOS

Arquivo do blog

» » Jaguarari-Ba: São Pedro de Pilar bate recorde de público e segurança segue sem nenhuma ocorrência policial

Os festejos do São Pedro de Pilar iniciaram na última sexta-feira, 7 de julho com as bandas Curtição, Farra de Vaqueiro, Batista Lima e Gatinha Manhosa, além, claro de um grande público presente. Já no segundo dia, ontem, sábado 8 de julho, uma multidão invadiu Pilar para acompanhar o show de LÉO MAGALHÃES, desta vez com uma apresentação mais dinâmica, LM acenou para o público e ainda abriu espaço para um fã cantar em seu show. Após a apresentação de Léo Magalhães, a banda SHOW MANIA encerrou o segundo dia, às 4h32 da manhã, ainda com a praça lotada de foliões. Vale ressaltar, que assim como aconteceu em Jaguarari, as atrações encerraram suas apresentações antes das 5h da manhã, com um grande público e notadamente sem nenhum registro de ocorrência policial, o que tornou os dois eventos mais seguros. Tal qual o São João de Jaguarari, o São Pedro de Pilar superou todas as expectativas em público, qualidade das atrações e o mais importante: sem nenhum caso de violência, uma festa totalmente tranquila onde a principal atração foi a diversão. Ainda na noite de ontem tivemos as apresentações de Zé Aroldo Sanfoneiro e Victor do Acordeon.
Hoje é o dia dela: SOLANGE ALMEIDA, a grande expectativa da noite, que promete ser mais um dia de praça superlotada. Antes, abrem a noite do último dia de festa, às 19h, Cosme Menezes, 20h30, Felipe Santana, 22h30, Mailton do Acordeon. Meia noite, SOLANGE ALMEIDA e logo em seguida ALADIN.

«
Anteriro
Postagem mais recente
»
Prever
Postagem mais antiga

Um comentário:

Gercivaldo Lino disse...

Não vi este recorde de público todo. Parabenizar pela segurança, porém a festa deixou a desejar, devido ao termino as 4 da manhã deixando o público a ver navios na praça. E o que falar das programações que não vieram? E o que falar das bandas que não tocam o ritimo típico da época?